lobo e lua

lobo e lua

3.2.10

Flagrante cumplicidade

Dani Pedroza
BLOGUEIRA CONVIDADA

- E aí, doutora? Como está a minha situação?

- Você conhece o procedimento quase tão bem quanto eu. Quantas vezes já foi preso nas mesmas condições?

- Essa é a sétima vez.

- Pois então. Já sabe tudo o que vai acontecer, não?

- A senhora acha que demora muito a me soltar dessa vez?

- Eu vou primeiro conversar com o delegado, depois começo a fazer previsões.

- As coisas estão feias pro meu lado, né? Pode falar, doutora. A senhora sabe que sou macaco velho.

- Justamente por isso que não entendo você. Tantos anos nessa vida e ainda dá um mole desses?

- Doutora, a senhora pode ser advogada só escrevendo petições? Consegue ficar na segurança de seu escritório entre seus livros? Não tem que dar a cara a bater nas audiências? Se expor?

- E daí?

- E daí que cada profissão tem seus riscos. O risco da minha é a prisão. Faz parte.

- Desde quando estelionato é profissão?

- É a única coisa que sei fazer. É o que eu faço melhor do que os outros. Onde me sinto o melhor. E é o que paga meus desejos, meus vícios, meu sustento.

- Aptidão e satisfação.

- O que foi?

- Nada, só estava pensando alto. Continue.

- Pois é isso, doutora. A senhora usa seu talento e seu esforço pra conseguir sobreviver, eu faço o mesmo.

- Você só esqueceu de um detalhe. Todas as profissões têm uma função social. Elas servem de alguma forma pra contribuir com as outras pessoas, cada um se especializa em alguma coisa e oferece aos outros. Como se fosse um escambo de aptidões.

- Um o quê?

- Escambo, troca.

- Ah sim. Ouvi dizer que antigamente as pessoas trocavam o que plantavam com as outras. Um plantava milho, outro feijão, daí eles trocavam.

- Pois então. Hoje em dia, trocamos aptidões. Um sabe tratar de doentes, outro sabe construir casas, e cada um "vende" o que sabe fazer pra que todos vivam melhor.

- Entendi o raciocínio. Estelionatário não torna a vida de ninguém melhor.

- O que você faz é justamente prejudicar a vida em sociedade, à medida que você engana alguém pra ficar com o que é dele, além de causar um dano àquela pessoa, você gera uma sensação de insegurança e desconfiança nos outros, que começam a sentir que precisam se defender a qualquer custo porque podem ser as próximas vítimas. Isso cria toda uma desordem social, entende?

- A senhora tem razão. Eu não contribuo mesmo pra esse "meio social". Sabe por que, doutora? Porque ele também não me deu nada. Pra mim não existe mundo social, existe mundo cão, onde é cada um por si. Olha, doutora, não sou um cara ruim, sei reconhecer quando alguém me faz um favor. Mas eu não faço parte desse meio social, ele nunca fez nada por mim. E nem eu me sinto na obrigação de fazer alguma coisa por ele.

- Talvez seja principalmente por isso que anos de cadeia não conseguiram te ressocializar. Você nunca foi nem socializado. Mas eu ainda não entendo uma coisa. Como você se deixou pegar de novo?

- Doutora, o destino do estelionatário é a cana. Eu nunca quis juntar dinheiro. A senhora estuda, lê, fica cada vez mais instruída porque é essa a sua maneira de conquistar o seu lugar, de se fazer aceitar e respeitar pelos outros. Eu roubo pra comprar essas mesmas coisas.

- O seu discurso é muito bonito, mas há diversas formas menos prejudiciais a você mesmo e aos outros de conseguir o que quer.

- A sua, por exemplo?

- A minha, por exemplo.

- A senhora põe gente como eu na rua.

- Eu, não senhor. Eu ofereço a pessoas como você o direito de ter uma defesa competente. Há o Ministério Público pra tentar provar que você é culpado se assim entender. E, no fim das contas, quem decide é o juiz.

- O seu discurso é muito bonito, mas...

- rs... Você é muito bom na argumentação... Imagino que seja assim que você consegue enganar suas vítimas.

- Não somos tão diferentes quanto pode parecer à primeira vista, não é mesmo, doutora?

Dani Pedroza pode ser encontrada aqui.

63 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Adorei o texto! Afinal eu lido com advogados diariamente e sei que é uma raça difícil... eheheh... Esse texto é tudo a ver!

Achei interessante a tal troca de aptidões na sociedade, nunca tinha pensando sob esse ângulo... eheheh

Beijocas querido!

Desabafando disse...

Gostei muito da reflexão que o texto gera...me fez pensar. Assim como o comentário acima, nunca tinha pensado sob esse ponto de vista.

Clarisse Bastos disse...

Adorei o texto!
Gera uma reflexão muito boa e tem uma ótima linguagem.

Beijos grandes.

Sandra Timm™ disse...

Olha quem não apareceu?????? Eu!!

Hoje eu e meu terapeuta falamos justamente sobre isso: a visão que cada um tem de acordo com os diferentes ângulos onde se coloca e a sua "verdade"...

Muito bom o texto da Dani, gostei tanto que fui visitá-la e também gostei. Valeu a dica!

Beijoooooooooo

[obrigada pelo carinho, viu?]

Thaís A. disse...

haha, tá, eu li tudo mas não entendi mt bem. Acho que são pras pessoas que tem uma capacidade maior que a minha! hahaha

Erica Ferro disse...

É a prova que, com uma ótima 'lábia', chega-se longe e adquire-se o que quer.

Gostei muito do texto.

Marcos Vinicius Gomes disse...

É um texto que de certa forma pode explicar - claro que náo justificar - porque algumas pessoas chegam lá (não por méritos, mas por apadrihamentos, 'QI',etc) e outros ficam a ver navios. E nesse Brasil de meu Deus, isso é café pequeno...

Anne Lieri disse...

Um texto muito realista diante da sociedade que vivemos!Adorei!Abraços,

Dani Pedroza disse...

Bill, querido, já sabe, não? Enorme honra ver um texto meu aqui no Jornal da Lua, não pela divulgação em si, mas por te achar bem criterioso na escolha dos posts.

Mas confesso que ver um texto meu aqui é quase como estar sentada na plateia vendo um filho no palco, em mais uma apresentação da escola. Um misto de orgulho e apreensão. O primeiro impulso é de preservação, proteção, mas se os filhos temos que "criar pro mundo", imagina os textos, eles são o próprio mundo... rs.

Gostei da sua escolha. Acho sempre prazeroso reler esse texto porque, lendo "Flagrante cumplicidade", ora me vejo na advogada, ora me reconheço no estelionatário. Talvez mais neste do que naquela. Especialmente depois que olhei a imagem que você escolheu pra acompanhar o post. A velhinha de venda nos olhos é a minha "cara"... rs.

Bjs !!!

R. disse...

Adoreei!
Um perfeito retrato da nossa sociedade!

Sandra Timm™ disse...

Putz! Bem coisa minha fazer essas confusões... rsrs

Sou professora e quando estou em atividade, os alunos aprontam horrores com essa confusão de nomes que eu faço!

Mas tudo bem, você já me perdoou, afinal Lua e Luna são a mesma coisa, né?

[Em tempo: eu também fujo quando percebo que estou ficando "normal", mas corro de volta quando começo a meter o pé na jaca... morro de medo que um dia resolvam me internar]

Ana Lu disse...

Nossa, mto bom mesmo o texto!
^^

Jaya Magalhães disse...

Neeeeeeeeeeeeeeeeeeeem ri.

¬¬

hauhuahuahauahuahuah.

Beijo, Bill.

Cadinho RoCo disse...

É tudo uma questão de ponto de vista.
Cadinho RoCo

cirandeira disse...

Olá Bill, estou passando por aqui para agradecer-lhe a visita e o comentário que vc fez no "cirandeira".
Achei esse texto tão atual!? Qualquer semelhança, é mera coincidência, não é?
Um abraço

Heat disse...

mto legal o texto

gostei

Jana Barreto disse...

hahaha
acho que com todo esse poder de persuazão ele deveria ser advogado, com uma lábia dessas, está se perdendo. rs
Beijos!

Josy disse...

HEHEHE
Estupendo cara, muito bom mesmo.
Abraço.

Tiffany disse...

que texto legal!
todos nós temos alguma coisa em comum por baixo desse monte de rótulos que colocam na gente...

vou visitar o blog dela!!!

Mayara Cunha disse...

ADOREI. Muito bom!

Cleo disse...

É, todo mundo quer a qualquer custo conquistar um lugar ao sol.. Este texto é a cara da sociedade mesmo. Bravo prá Dani, vou visitá-la.

Obrigada pela visita Bill.
Beijos. um belo de um fim de semana prá você
Cleo

Barbara disse...

SENSACIONAL!
Todo mundo é marginal (à margem) em alguma coisa.
Em algum tempo.
Alguma circunstância.
Qualquer profissão.
Idade/sexo e por aí vai.
Por que todos estão com asco exagerado dos escândalos? Porque de alguma maneira, nos identificamos.
Se fôssemos inocentes...nem ligaríamos.
Efeito espelho.

E.Suruba disse...

foi uma conversa de titãs :S

Ágatha Alves disse...

Adorei o texto ...
É muito bom para refletir sobre certas coisas
mania de julgar o certo e o errado quando ao ver vc tbm acaba comentand ambos na mesma maneira q o outro.

beijos

JuJu disse...

"- Não somos tão diferentes quanto pode parecer à primeira vista, não é mesmo, doutora?"
Sensacional, meu caro! Você e seus textos arrebentam cada vez mais!
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Memórias de Donha Baratinha disse...

kkkkkk, muito bom!
E aí Bill, qt tempo hein?!
Sau7dades, passa no meu blog pô!

T. disse...

"- A senhora põe gente como eu na rua.
"

10!!!!

:D

Alexandre Fernandes disse...

haha, muito boa essa relação entre os dois. Pequenas particularidades que são semelhantes. As vezes muda apenas o modo e objetivo, mas tem uma essência geral parecida. A lábia é uma coisa poderosa mesmo.

Texto muito bom.

Abração Bill.

Vagabundo Social disse...

Oi Bill! Obrigado por mais uma agradável visita sua no meu blog. Esse texto 'tá légau, e 'tá certo... A profissão da doutora não era ssim tão moralista não... tinham as suas parecenças mesmo. Abraço aí pra esse lado do mundo!

Lilá(s) disse...

Adorei o texto! de leitura cativante.
Bjs

Patrícia Andréa disse...

Reflexivo...

Passa lá no meu blog q tem post novo!
Bjus!

Kaká Bullon disse...

Ótimo texto

Já sigo a Dani a algum tempo, uma "cachola" como a dela merece mesmo ser sempre evidenciada, aplaudida... Juntamente com a cachola de quem percebe esses "talentos".

Muito boa escolha.

paula barros disse...

Vim ler o texto da Dani. Mas antes vou te contar. Ouvi falar de você antes de conhecer seu blog, num encontro maravilhoso com Cadinho e Ava em BH. Pensei até que ia conhecê-lo por lá, mas não conheci.

Agora vou ler.

paula barros disse...

Já conhecia esse texto, mas não me canso de ler. Acho muito inteligente. Ela, a Dani, é muito inteligente. Elabora belíssimos textos, com conteúdos que podem ir do humor a reflexão profunda do ser.

abraço

Luciana P. disse...

Realmente, Bill,não somos tão diferentes quanto pode parecer à primeira vista, hahahahaha. Eu que o diga!!! E durma com um barulho desses, rsrsrs...

Adorei a história e a descontração do diálogo.

Beijos e bom domingo!

Nathália :) disse...

AADORO essa históras que você posta, Bill. :) Sempre um drama, algo engraçado ou um simples texto que nos faz refletir! :)

dei uma sumida, mas agora voltei
xD

um beijo

Mandy disse...

Muito bom o texto! Ele me fez ver por um novo ponto de vista. Esse é o tipo de texto que faz você analisar determinadas situações de uma nova maneira.

^^

aaaaaah seguindo o blog lá no twitter > @mandy_sook
BjO

Mandy disse...

aaaah Bill, quanto ao seu comentário lá no Sook no post dos livros... Eu adoro um perigo noturno sim! rs
A noite me fascina...

BjO

Maria Chuteira. disse...

Adorei demais, hahaha. Blog lindo *_*
Beijos

Maria Chuteira. disse...

Adorei demais, hahaha. Blog lindo *_*
Beijos

Mirtes disse...

Genial esse texto, adorei a informação realista que nos faz refletir sobre o caos que vivemos hoje impunidades etc....

Parabéns.
Bjsss

Caroline. disse...

Muito bom o texto *________*
Adorei =D

Luana disse...

Homem do céu! Não sei quanto tempo faz que estou tentando comentar aqui e não consigo. O comentário não vai!

Texto magnífico! O poder do argumento é tudo nessa vida... hehehe.

Obrigada pelos comentários e elogios, querido.


Um beeeijo.

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

A gente lê numa tacada só! Muito legal. Agora, Bill, sua equipe é impagável, adorei!

Paulo R. Diesel disse...

171 prá cá
171 pra lá...

A rua tem duas vias.

Abraço

Mary West disse...

Acho que teu texto tem um pouco do meu e vice versa. Adorei. :)

VANUZA PANTALEÃO disse...

Bill, o teu papo me conquistou duas vezes: a pessoa e a advogada. Caí na lábia!Rsrs.
Inteligente, perfeito, mordaz, irônico...
Obrigada, tá?Bjssss

Déia disse...

Adorei!!

Existem várias verdades né? A minha, a sua e a real kkkkkk

Odeio advogados!!

bj

Jeanne disse...

Muito inteligente o texto, tudo a ver com a realidade que se vive.
Muito engraçado teu perfil,rsrsrs
beijos

JuJu disse...

Sobre o comentário que você deixou no meu blog: Você usa Firefox. É que eu coloquei na resposta ao seu comment uma solução para o problema da letra.

''Tay' disse...

Adorei o texto *-*
muitoo boom para refletir.

bjus =*

Flavio Pinheiro disse...

Mais uma grande colaboradora para o nosso fantástico Jornal da Lua.
Excelente post!
Abraços,
Flavio Pinheiro

lpzinho disse...

Nossa... mto bom ler isso... excelente o texto né??
Bacana.. faz pensar... mais ainda além do que as palavras mostram!
Bacana mesmo!
Tava com saudade de aparecer por aqui!
Obrigado pela sua visita e sempre, sempre... sucesso pra vc Bill!
Abraaaço!!

Paloma disse...

Adoro discuções que tem argumentos válidos. Gostei muito do texto, fala a verdade de um jeito que as pessoas não se sintam ofendidas em ouvir. Beijos.

mayfeel disse...

Cada um com seu talento, certo?

Armando Maynard disse...

Caro Bill, esse um bom texto para reflexão. Aproveito o espaço do comentário e pergunto: Se o escritor ficcionista é um mentiroso, o que seria então um advogado de defesa, que sabe que o réu é um criminoso, mas mesmo assim trabalha para inocentá-lo?

Olga disse...

adorei.

Nerfethyty disse...

Gostei muito do texto. Ambos são muito parecidos e bons em seus argumentos.
.
.
.
Bjocas

Marcelo Gomes disse...

Perfeito!

Gabi disse...

Noooooooooooooooooooooossa! Calei-me.

Vulgo , K isser. disse...

que bom que gosta e se indentifica , rs . adorei seu texto bjs

Thaís. disse...

Me fez pensar.
Adorei!

Kamilla Barcelos disse...

O risco da minha profissão ser a prisão, eu adorei! haha
Muito bom o texto!
Bill, pq vc anda postando tão pouco? Reparei que vc aumentou o tempo de uma postagem para outra!
beijos