lobo e lua

lobo e lua

14.1.10

Parabéns!

Chico PF
(Francisco Paula Freitas)


Amigo,

Quando foi, diga a verdade, que passou pela sua cabeça que chegar aos 70 fosse tão rápido?

Se basta uma rápida virada no pescoço, ou um breve fechar dos olhos para, na mesma hora, termos 10, 15 ou 25, isso que o tempo faz me cheira a traição e me deixa bobo. Como é que pode?...

Que o tempo iria passar, sabíamos. Mas não iria ser assim tão ligeiro. Mais: quando chegássemos lá, não era para ter o que se tem agora. Seria algo diferente, igual ao que víamos nos outros, nos velhos da vida que existem quando a gente é pequeno. Neles supúnhamos existir a paz, a calma, o descanso, a bonomia e uma certa felicidade. Dever cumprido, imaginávamos. De certa forma, desejamos isso também. Hoje sabemos, não é verdade.

Aos 70, afinal o que você vê em você? Você vê o que o menino, que insiste em não nos abandonar e que não conseguimos deixar de ser, vê. E lá está ele — o que a toda hora vem para nos salvar — a resolver os problemas e a ver, por trás da nossa cara um tanto vincada, da mesma forma que víamos quando a cara era lisa, era outra. Outra? Então nossa cara já foi outra? É possível, mas só concordamos quando a vemos nos retratos desbotados. E a atual, como é? Essa, a das fotografias recentes, não é, eu garanto. Talvez a do espelho, a da hora da barba a que, preocupados com a lâmina, quase não vemos. Não, também não é essa. Nossa verdadeira cara é uma espécie de sombra, de memória, de lembrança de algo que fica entre a matéria e a vontade.

Somos sempre os mesmos, cara, alma, entranhas, tudo. Mudamos para os outros. Mas os que saberiam enxergar as diferenças, já não podem. Não acompanharam nossa mudança nem qualquer outra coisa. Se foram, nos deixaram a despeito de nós, que não os abandonamos...

Pais, tios e avós. Nós que um dia fomos filhos, sobrinhos e netos, hoje órfãos, fazemos o papel daqueles. Representamos hoje os que se foram, mas temos dificuldade em decorar o papel.

Vemos o tanto realizado, achamos pouco e vem à lembrança uma ou outra pequenina coisa que poderíamos ter feito... Por que tem de ser assim?

Não vou como os simplórios dizer que 70 anos é só o começo, é mais. Bem mais. Mas, cá entre nós, é muito pouco, é quase nada. Feche os olhos e confirme.

Entre os que não ficaram pelo caminho — somos poucos! — cada um vence a seu modo.

Um comprimido para as mazelas e um drinque para brindar a vida, sigamos. Com ceticismo e esperança, ir é o que resta.

Publicado em "Café e Bar Ponto Chic" - Editora Bertrand Brasil

80 comentários:

b disse...

Maravilha!
E é isto mesmo.
Os ancestrais foram uma cerca de proteção e hoje somos a cerca prá alguém.
Os nossos sonhos ( nossa criança interior) nos sustenta - já que vivemos mais os sonhos dos que nos vêem agora como cerca do que os nossos.
Lei da vida.
Que se repete, repete, repete.
Através do seu texto, comecei a pensar que não tenho um rosto - tenho uma sombra que desfilo por aí , tentando ser dígna - ao menos por estar no meio - entre os que me foram cerca e aqueles para os quais a cerca sou eu.
Tá tudo muito bonito, profundo e de verdades no que escreveu.

Pollyanna disse...

É bem verdade que sonhamos antes com algo diferente do que temos agora...

Quando eu tinha uns 12 anos imaginava que perto dos 25, já estaria terminando a faculdade e se duvidasse, casada, mas hoje vejo que estou aaaindaaa na metade da faculdade e longe do casamento. ahahahaha

Parecia tudoo tão longe, tão dificil de alcançar e quando menos esperei, estava lá...

Imagina com 70 anos. Só espero que quando chegar lá, ainda cuide sozinha de mim mesma e em plena saúde, amem!

x)
Beeeijos, Bill.

betty disse...

Bill,

Esse foi um dos textos mais bonitos emocionantes que já li, principalmente pela verdade que ele contém.

Parabéns ao Chico e a você pela sensibilidade, inteligência e talento.

beijinho

Dama de Cinzas disse...

Muito lindo o texto, cheio de verdades!

Nele é falado sobre como o tempo passa rápido e é mesmo... E a sensação que tenho é que quanto mais velho vamos ficando, mais intensa é a sensação de que o tempo está passando rápido... Estranho isso!

De qualquer maneira tenho que confessar minha nóia com velhice, já fiz post sobre isso e tal... Mas acho que quando chegar aos 70 e se chegar, as coisas vão estar mais arrumadas na minha mente...

De qualquer maneira acho que as pessoas mais velhas tem algo precioso que é a experiência de vida, que nada pode trazer isso senão o passar dos anos mesmo...

Beijocas

Desabafando disse...

Adorei o texto...realmente é interessante como o tempo passa rápido e como fazemos projeções para o futuro que nem sempre vão corresponder a realidade.

Laís disse...

o tempo passa rápido,principalmente porque nos acostumamos a estar mais velhos e mudados.Mesmo assim nos espantamos a chegar nessas idades que antigamente nem nos imaginávamos chegar.É bem estranho ver crianças com quem brincávamos antes estarem casadas,com filhos.Não me imagino com 70,nem mesmo 25,mas eu sei que com tempo a gente se acostuma com o tempo.
beeijo

Luciana P. disse...

Lindo texto, uma viagem pelo tempo de cada um...
"Um comprimido para as mazelas e um drinque para brindar a vida, sigamos. Com ceticismo e esperança, ir é o que resta".

Assino embaixo e passo a régua.

Beijos, Bill, linda sexta, ótimo sábado e grandioso domingo pra ti.

E.Suruba disse...

o tempo passa rápido mesmo, é um trem a mil

E.Suruba disse...

o tempo passa rápido mesmo, é um trem a mil

Karen disse...

Lindo, inteligente, e reflexivo. Adorei! ;)

LiLi disse...

Oiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
saudades!
Depois de longas férias aqui volto e com tudo.
Ai esse texto me deu uma nostalgia... ai ai... é algo que um dia vai chegar mesmo. Pura realidade.
O tempo não é mais o mesmo e cada vez as coisas passam mais rápido. Segurem-se quem puder.

Nathália :) disse...

Nossa, lindo texto Bil. Dá p tirar uma grande reflexão depois de ter lido! :)

Anônimo disse...

Bill,

acabei de ler sentindo que o autor estava a falar comigo, de nós dois.
A vida é assim mesmo.

Beijo,
Lúcia

Luana H. disse...

Que show de texto!
''Nossa verdadeira cara é uma espécie de sombra, de memória, de lembrança de algo que fica entre a matéria e a vontade.''
Tudo o que eu queria dizer e nunca consegui!
Texto muito muito bom!


Um beeeijo, querido.

Dona Maria disse...

Para o alto e avante, sempre! E que venham mais setenta. Se não na idade biológica, que venham em sabedoria.

ALF disse...

Sempre é pouco diante do que podemos aprender e vencer.

Texto Sensível e verdadeiro.

Abração

Desirée disse...

oiii

amei o blog

voltarei mais vezes ^^
bjo :)

Luh* disse...

Um dos melhores post! nossa como se tira lição de tudo né.
beijos

Cadinho RoCo disse...

Com vida não tem jeito de escapar não.
Cadinho RoCo

Simples Assim... disse...

Outro dia estava conversando com minha mãe (que, amante dos livros tradiconalmente falando, é meio desconfiada em relação à qualidade do que se encontra pela blogosfera) e tive que concordar que realmente encontro pela net muita coisa que não me diz nada, que me faz pensar o quanto gosto realmente não se discute (ou discute !!! rs), mas também comentei que alguns blogs são de uma qualidade e diversidade (o que acho bem interessante) surpreentes. O seu blog é um exemplo disso. O Jornal da Lua trafega entre extremos de forma tão natural que vir aqui, pra mim, é sempre uma delícia.

Este post, certamente, é um dos melhores que já li nesses dois anos de "blogagem". Sinceramente nunca havia visto alguém escrevendo sobre o tema (que já virou até clichê) de forma tão direta, simples e tocante.

Acredito que saber escolher é uma arte. Bjs.

Mandy disse...

Uma grande verdade "Somos sempre os mesmos, cara, alma, entranhas, tudo. Mudamos para os outros."

Obrigada pelo comentário lá no Sook Bill...

BjO

Déia disse...

uau...

Tâmara disse...

Ir - E não ir só!

Mesmo Que Eu Vá Só Com O "Parabéns"

Digo; Maravilhada com a dualidade e de olhos fechados.

Dama de Cinzas disse...

Gosto de responder seus comentários... ehehe...

Sobre o post das decepções, ele tem mais a cara do Confissões Ácidas, mas como ele era um desabafo assim que não queria que gerasse polêmica, resolvi colocar no outro blog que é menos acessado... rs...

E tb porque o blog se chama: UM BLOG PRA RELAXAR, OU NÃO! Esse OU NÃO é pra pegar meus desabafos... eheheh

Beijocas querido!

tossan disse...

Magnífico texto, não tenho 70, nem 60 e nem 56, mas senti o texto na alma viu? Abraço

sobrefatalismos disse...

BILLLLLLLLLLL!
Me mata, Bill, eu deixei de passar por aqui!!!!

Acho que aos 70 eu vou enxergar rugas na frente do espelho, isso sim.

Bjos!

Kamilla Barcelos disse...

Desde nova eu sou neurótica com assunto velhice. Quando eu tinha 5 anos, eu falei para minha mãe que eu não queria aniversário esse ano e nem nunca mais. Minha mãe ficou demais preocupada e me perguntou o porquê. Eu respondi que não queria ficar gorda e feia como as tias dela! hahahahahaha

Meu vo tem mais de 70 e continua lindo, fofo e garanhão. Acho que ele até merece um post!

LP disse...

Puxa... que bacanaaa este texto.
Dá pra pensar tanto.. e quer saber, senhor Bill heheh estes dias tive dificuldades inúmeras para dormir... acordava direto com a memória sendo lembrada de momentos que eu já vivi... era como acessar TODA a minha memória virtual entre um sono e outro... e vendo detalhes de tantas experiências me dei conta que o tempo vem passando.... ainda longe de 70, mas bem diferente dos 20... porém uma coisa me faz pensar mto: O tanto que é bom estar vivo!!!!
Lindooo o texto.. obrigado pela tua presença, sensibilidade e amizade!! Abraços!

Paulo R. Diesel disse...

Estas sensações que sentimos são frutos da nossa imaginação. Muitos de nós nascemos no século passado, (observou?)e na real não muda nada.
Mas para ter a experiência só vivendo, meu amigo, só vivendo.

Abraço

Carolina disse...

A passagem do tempo é um mistério e um descobrimento.
Tempo de semeadura e muitas colheitas.

bjão

JuJu disse...

Bem inteligente, Bill. Você adora ver as coisas por um prisma que escapa aos clichês, não é?
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

mayfeel disse...

Belíssimo texto *-*
Fico pensando se, quando eu tiver 70 anos, vou me sentir assim. Bem...espero que os 52 anos que faltam até eu ter 70 passem bem de vagar :P

Dayane disse...

è meu querido...O tempo passa e a gente nem vê!

K isser. disse...

amei o texto ' Aos 70, afinal o que você vê em você?'
muito interessante bjs

Fran.ciellen :) disse...

Me imaginei com 70 anos!
Ui :O



adorei o texto!

Cinthia Bittencourt disse...

Puxa vidaa.. que tocante. me segurei pra não cair da cadeira. e como diria a colega acima, tbm me imaginei com 70 anos!

beijos Bill

Aniinha ;D disse...

booom , eu tambem espero que vc faça tuo esse ano ;D

Fernanda Magalhães disse...

Falcão delicia!!! A viagemt a linda e perfeita querido. Beijos de luz!

elisabete cunha disse...

Bill

Que bom voltar aqui.
Que texto emocionante querido!
Obrigada!

''Tay' disse...

Adorei o texto...
fikou muito bom...

bjus =*

Larissa disse...

Nossa, incrivelmente verdadeiro.
adorei!
bjs
;**

Vanessa disse...

Que texto lindo.

Gabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Babih Xavier disse...

eu evito de imaginar o futuro, prefiro o efeito surpresa do que a decepção \o
ótimo texto ^^

Gabi disse...

Ah, os 70! Eu espero chegar lá tão lúcida e forte como a minha vó hahaha
Gostei desse texto!

Babih Xavier disse...

eu evito de imaginar o futuro, prefiro o efeito surpresa do que a decepção \o
ótimo texto ^^

Babih Xavier disse...

eu evito de imaginar o futuro, prefiro o efeito surpresa do que a decepção \o
ótimo texto ^^

jefhcardoso disse...

Você segue a Liberdade. Isso é algo revelador. Quero lhe convidar a conhecer o meu blog. Vai que você goste. Não sei.
Convido assim, sem oferecer nada além do convite, na cara dura, sem prometer nada.
Vai que você goste de quem é direto. Não sei.

http://jefhcardoso.blogspot.com Abraço!

Miss Nìíque Ribeìíro εïз disse...

Olá Bill!!!
Fico grata pela visita e pelo comentário.
Volte sempre!!!
Beeijos

Buba. disse...

Me encantou muito o texto, porque por esses dias mesmo eu me peguei pensando no futuro. Será que vai ser como eu imagino? Ou tudo vai se perder no meio do caminho. Enfim, quando cheguei na parte "Pais, tios e avós. Nós que um dia fomos filhos, sobrinhos e netos, hoje órfãos, fazemos o papel daqueles. Representamos hoje os que se foram, mas temos dificuldade em decorar o papel." não aguentei e deixei que algumas lágrimas escapassem dos meus olhos e escorressem pelas minhas bochechas. É, dói saber que é pouco provável que aqueles que hoje estão aqui, firmes e fortes com a gente, vão ficar pra sempre, até o final do caminho. Talvez nem a gente chegue ao final. Esperanças não podem morrer, mesmo assim.

Lu Dantas disse...

Nossa! Que lindo! Fiquei sem palavras! Meu silêncio em respeito à inspiração!

Bjs

Sheherazade disse...

Mais um texto impecável do Grande Chico! Comentar o quê, depois disso? Acho que vou dar uma olhadinha nos poemas do Mário Quintana. Tchau!

Beijos Bill e Parabéns pro Chico.

Odette Serra Cypriano disse...

Bill,
O texto realmente é lindo, uma obra literária. Entretanto, acho que no caso a arte não imita a vida. Eu, em especial, detesto todos os "entas" a partir dos cincoenta. Com o passar do tempo temos muitos ganhos, mas ver a foto antiga e a atual é muito triste.
Abraços,
Odette.

Armando Maynard disse...

Caro Bill, o meu pacote da Sky não inclui o TCM, mas eu tenho o Telecine Cult e alguns filmes, mesmo na telinha, valem a pena. Quanto ao Chico é muito bom de se ler. Isso de idade avançada, me faz lembrar uma frase dos antigos:"quanto mais se vive, mais condenado se está a assistir os amigos morrerem".

Mandy disse...

Como já havia comentado antes aqui, passei para agradecer seu comentário lá no Sook, e as nossas sensações mudam incansavelmente! Elas nos surpreendem a cada dia! O que é extraordinariamente bom!

BjO

Kamilla Barcelos disse...

O meu pai não jogou profissionalmente pelo URT porque o meu avo não deixou, aliás o meu pai tem trauma disso até hoje! hahaha Um dia eu conto a história do meu pai.
O Mamoré é daqui sim, recentemente vendeu seu estádio, que ficava no centro da cidade para virar shopping. Lindo, né? hahaha Esse ano eles inauguraram um novo estádio, dizem que está bonito!

Yaas disse...

Nossa, vejo tantos comentários cheios de opniões que até fico meio intimidada :x hehe
adorei seu blog, vou vir aqui mais vezes (:
Obrigada pelo coment lá no blog!
beeijos :*

Juju disse...

Que texto maravilhoso!Não nos resta mesmo mais nada a não ser ir, e sem parar no meio do caminho, mesmo que haja uma pedra!

Beijujubas

Luma Rosa disse...

Bill, para quem chega aos 70 com lucidez, a vida passou num piscar de olhos mesmo! E como dizem, se pudesse voltar no tempo e ter 20 anos, só com a experiência de vida dos 70. A soma dos anos nos faz conscientes que a juventude está no modo como encaramos a vida com alegria, pois que existem muitos jovens velhos! Beijus,

disse...

Nossa ! que texto lindo !!
Uma viagem praticamente... nem me imagino como eu vou estar aos 70 '-' é tanto tempo pra pensar ... !
:P

beijos !

Armando Maynard disse...

Caro Bill,obrigado pelo depoimento no "Midia Depressa" e pela boa dica do site "Collector's". Conheço sim o filme "A Era do Rádio" de Woody Allen. Como diz os antigos radialistas: "O rádio é uma cachaça". Um abraço, Armando.

Anna Beatriz disse...

Olá Bill, só pra avisar que a Inha trocou de template, e agora dá pra comentar nas postagens dela :)

Lena disse...

Ainda bém que aqui cheguei...
Li um belo texto muito realista...

Os anos passam com uma rapidez inimaginavel...
depressa se chega aos 70...

um beijo

Sandra disse...

Pois é amigo...O tempo na maioria da vezes,escorre rapidamente por entre os dedos...
Grata pela visita e comentário,lá no espaço.Seja sempre muito bem vindo!
Voltarei em breve!
Bjs e té+!

Multiolhares disse...

Adorei este texto, parabéns penso que quem já passou pelo menos dos 40 tem esse tipo de sentimento de pensamentos, na verdade tudo passa tão depressa e fica aquele vazio de tudo inacabado
adorei
beijinhos

Sueli disse...

Pois é, Bill, a cada ano que passa meu conceito de velhice se altera. Já achei que pessoa de 30 era velha. Hoje, acho que velho é depois dos 150, mais ou menos ...rs. Beijão!

Sônia Silvino disse...

Bill!
Adorei o teu blog! Divertido, criativo e interessante.
Agradeço a tua participação nos meus blogs!
Vou linkar o teu blog no THE BEST BLOGS:
http://soniasilvinothebestblogs.blogspot.com
Passe lá para conferir!
Abraços... Fui, pois o tempo passa muito depressa... rsrsrsr

Malu disse...

Amigo,
Como boa geminiana que sou adoro movmento novo nos lugares e adorei tua visita lá no meu INFINITO...
As janelas estão sempre aberats e as portas não tem chave.
Tenho quarenta e passou tão rápido.
Para os 70 será um pulinho, mas pode ter certeza que o tempo sempre me passa feliz, porque dentro de mim, apesar de todas as melancolias peculiares de quem escreve, eu sou totalmente de bem comigo e com a VIDA.
Gostei muito destas tuas páginas.
Beijinhos em ti

S* disse...

Sorte a daqueles que podem lá chegar.

Anne Lieri disse...

Somos ainda aqueles meninos e meninas dos anos 70,é verdade!Acredito que esse tempo ficou enfronhado em nossa alma!...rsss...Tenho saudade!Se puder,visite meu novo blog: NAS ASAS DOS VERSOS.Abraços,

Erica Ferro disse...

Pois é; parece que o que nos resta é ir.
Que vamos que com graça, então!

Muito legal aqui; estou conseguindo.

Um abraço.

Lua disse...

Se perder no caminho é a coisa mais fácil hoje em dia, mas confesso que tenho medo de chegar ao 70 cheia de arrependimentos ou simplesmente querendo voltar só pra reviver. Quero ser jovem para sempre!
Beijos

Lilá(s) disse...

E aqui encontrei um texto extremamente interessante! quanta verdade...
Bjs

Ágatha Alves disse...

NOssa Bill muito bom o texto
realmente.
E a verdade que contém, muitas vezes planejamos e sonhamos com um futuro tranquilo paz e etc, mas quando chegamos "lá", n é como s eimaginava...
Adorei

beijão

Jυℓyαnα ツ disse...

O tempo passa...
Para todos...
E na maioria das vezes nós nem notamos que ele já passou e que as vezes não chegamos nem ao menos a fazer tudo aquilo que desejavamos...

Por isso acho que devemos sempre aproveitar o tempo que temos...
Pois o hoje nunca vai se repetir e o amanhã nunca vai chegar...


Bejãooo ;*

Carol Garcia disse...

aah adorei, nunca tinha visto, só isso que resta mesmo parar no meu do caminho não da mais !
:D

Kamilla Barcelos disse...

É, a nossa estreia na Libertadores não foi lá essas coisas, mas é culpa da altitude. Quero ver aqui no Brasil tb, vamos arrasar!

Manú boa morte ϟ disse...

adorei *-*

Flavio disse...

Mais um belo conto de seu brilhante colaborador, Francisco Paula Freitas. Parabéns!
Flavio Pinheiro

Luciana P. disse...

Oi, Bill, as mazelas, rsrsrs. Esse texto é ótimo. Ele nos revela por dentro e por fora, em todos os sentidos. É fantástico!

Beijos e boa quarta-feira pra ti. Aliás, pelo visto, vc não é viciado em blog como a maioria. Onde está o equilíbrio? Porque eu, meu Deus, tô perdida! Hahahahaha