lobo e lua

lobo e lua

4.7.09

Inimigo Público


Jorge Fernando dos Santos
BLOGUEIRO CONVIDADO

Ele nunca tinha matado ninguém. Pior que isso, nunca tinha roubado, estuprado ou traficado seja lá o que fosse. Por isso mesmo foi condenado à pena máxima: 150 anos de trabalhos forçados ou redução da pena mediante morte súbita. Somente assim a sociedade pôde respirar aliviada. Tratava-se do inimigo público número um. Aquele que, desde a infância, recusava-se a cometer qualquer tipo de delito, por menor que fosse.

Tudo começou aos sete anos de idade, quando ele cedeu seu lugar no ônibus a uma velhinha. Todo mundo ficou surpreso e os vizinhos que se encontravam a bordo chegaram a comentar o fato. Mas ninguém levou aquilo muito a sério. Ele é só uma criança, alguém comentou. Alguns dias depois, o que parecia ter sido uma simples travessura da infância aconteceu novamente. A mãe, que estava com ele, não teve outra alternativa senão repreendê-lo na frente dos demais passageiros, que já se mostravam injuriados com o menino.

Já aos 13 anos, ele se recusou a consumir uma droga oferecida pelo primo, que era seu colega no primeiro grau. A notícia logo se espalhou e tanto a família quanto a diretora do estabelecimento de ensino se horrorizaram. O ópio custa tão caro e esse menino simplesmente não aceita a oferta do primo que tanto o admira? Quem ele pensa que é? - muitos comentaram. E ele continuou ignorando esse tipo de pressão. Aliás, acostumou-se com aquela forma de tratamento.

Consciente de sua própria rebeldia e - por que não? - orgulhoso de ser um adolescente do tipo rebelde e contestador, foi várias vezes suspenso da escola e quase tomou bomba por questionar os ensinamentos antiéticos de seus professores.

Os pais já não sabiam mais o que fazer. O padrinho, que além de ser seu tio era também um deputado federal várias vezes investigado por corrupção - e por isso mesmo reeleito duas vezes para o cargo - simplesmente rompeu os laços afetivos com a família. Não quero ser lembrado como parente de um caso perdido como esse, justificou. Seu irmão, pai do garoto problema, lamentou o fato. Como sempre fazia, castigou o filho passando-lhe uma descompostura e repetindo as desvantagens de ser uma pessoa que não se mostra enquadrada no sistema.

Aos 17 anos, ele cometeu um legítimo ato de atentado ao pudor. Em plena fila de alistamento militar, socorreu um recruta que, estando de sentinela há várias horas, desmaiou sob o intenso sol do verão. Se você fosse um militar, seria levado à corte marcial, disse um sargento, furioso diante do fato inusitado jamais ocorrido em seu pelotão. Dispensado do serviço obrigatório, conseguiu arranjar emprego numa agência bancária da cidade. Mas não durou muito no emprego. Acabou sendo demitido por justa causa depois de se recusar a tomar parte num desfalque planejado pelo gerente.

Jamais pensei criar um filho pra isso, desabafou o pai numa discussão em família. Trabalhar honestamente como caixa de banco, isso é um absurdo! Calma, pediu-lhe a mulher, sempre paciente. Ele é ainda muito jovem, há de aprender com a própria vida.

Não aprendeu. E por isso mesmo, aos 30 anos de idade, tendo já uma enorme ficha criminal - que incluía multas de trânsito por respeitar o sinal vermelho e por jamais estacionar em fila dupla - acabou sendo preso em flagrante ao tentar salvar uma jovem de ser estuprada por um padre dentro de uma igreja do seu bairro.

Apesar de nunca ter aprovado suas atitudes, o pai contratou os serviços do melhor advogado da cidade, um eminente professor de Direito que já havia tirado da cadeia vários chefões do crime organizado. Tudo em vão. A promotoria agiu com incrível competência, apresentando várias testemunhas e comprovando todos os crimes praticados pelo réu.

No final do demorado julgamento, que catalisou a atenção da imprensa e mobilizou a opinião pública do país, o veredito foi unânime. Um elemento de tamanha periculosidade, verdadeira ameaça aos interesses do sistema vigente, não poderia continuar às soltas, incomodando as pessoas normais que obedecem cegamente aos mandamentos da lei. Hoje, ele está confinado numa cela escura em alguma das penitenciárias privadas do país, cuja especialidade é justamente punir aqueles que se recusam a levar vantagem na vida.

Jorge Fernando pode ser encontrado aqui.

34 comentários:

Ava disse...

""Um elemento de tamanha periculosidade, verdadeira ameaça aos interesses do sistema vigente, não poderia continuar às soltas..."

Quando os valores se invertem, quando chegamos no fundo do poço, onde valores éticos e morais deixam de existir, realmente um indivíduo assim é uma ameaça para a coletividade...

Jorge Fernando, um texto que me deixou arrepiada, te juro, a medida que fui lendo... Fiquei impressionanda... muito!


Bill... Meu querido Bill...

Meus parabéns por ter a capacidade de garimpar textos assim, que nos deixa paralizados, depois de ler...


Beijos e carinhos!

Dama de Cinzas disse...

Muito bom o texto! Essa situação invertida pode ser observada em alguns segmentos sociais, como os políticos por exemplo... eheheh

Beijocas

tereSafur disse...

texto reaaaaalmente muito bom, traduz o que vivemos nos dias de hoje... esses tempos briguei numa fila de banco, pq estava simplesmente esperando em torno de 1h, quando o caixa dos "idosos/gestantes/deficientes" saiu pra almoçare o outro simplesmente passou a atendê-los, esquecendo a imensa fila dos outros...
agora só pq não estou grávida, não sou idosa em deficiente não tenho direitos???
complicadíssimo

Bjoks

Ana Lu disse...

Nossa, mto bom. Mostra exatamente como os valores hj em dia vem sendo cada vez mais invertidos
;P
Bjoss!

Anônimo disse...

Bill, uma das maiores maravilhas dos últimos tempos. Parabéns para o Jorge Fernando e para você também. Fiquei encantada e também maravilhada.
Beijocas
Yvonne Dimanche

Thaís A. disse...

Nossa, muito bom *-* sem palavras!

Fernanda Magalhães disse...

Bill meu querido, mais um alerta para nos questionar sobre alguns valores...belo texto.


Bjos de luz!!

Brúh disse...

Infelismente essa é a realidade.
Ainda há o susto daqueles que agem certo. :/

Patrícia disse...

Não vê que muitos se assustam quando trabalhadores devolvem malas cheias de dinheiro, cheques altos aos donos... e em troca de 5 reais...

Simples Assim... disse...

Primeiro, quase surgiu um sorriso no meu rosto. Depois, lembrei que esse texto não é tão metafórico assim. Afinal de contas minha janela está cheia de grades pelas quais eu paguei. Enfim...

Bill, quando vc puder, dá um pulinho lá no Impressões, seria ótimo se um dia vc pudesse postar alguma coisa sobre o assunto aqui no Jornal da Lua.

Bjs.

Armando Maynard disse...

Caro Bill, vivemos uma época de péssimos exmplos, onde os valores estão sendo relegados. Hoje a mentira é tratada como esperteza e a honestidade como ingenuidade. Que o vaticínio do Jorge Fernando, fique somente no alerta. Um abraço, Armando.

Nathália E. disse...

Um dos melhores textos publicados pelo Jornal, Bill.
Sabe que me sinto exatamente assim? Quando me decido por não mentir ou por fazer a coisa certa, percebo o olhar de estranhamento de muita gente.
Porque hoje em dia, o certo é ser errado.

Beijo.

Laís disse...

Muito lindo o texto,surpreendeu.As pessoas que são opositoras do sistema acabam sendo mal vistas pelos olhos de todos.
beeijo

Allyne Alves disse...

Texto incrivel...Obrigada sempre por ir me visitar, adoro!

Beijo querido

Robson Schneider disse...

Isso é assustador exatamente por que acontece em muitos aspectos viu?! aliás e como acontece...
Abração Bill e que bom que gostou do novo layout, deu trabalho pra escolher um que tivesse a cara do blog.

Barbara disse...

ISSO É SÉRIO!
INVERSO
INVERSÃO
CAOS
ONDE SER NATURAL É NÃO SER BOM.
MAS, CONHEÇO UMA FRASE QUE DIZ QUE A IGNORÂNCIA SE MULTIPLIQUE ATÉ CANSAR DE SUA PRÓPRIA PRODUÇÃO.
O CAOS INCITA À MUDANÇA QUE SE NÃO FOR POR BEM, É NA MARRA!
QUEM VIVER VERÁ.

Tâmara disse...

uau...
é uma triste e decadente realidade!

LP disse...

Oi Bill!
PRIMEIRO de tudo, mais uma vez obrigado pela visita e comentários no meu blog... aliás, sobre a sua pergunta lá... por coincidência aquela garota do post é uma ex-namorada ehhehe mas em geral, são apenas amigas q ou pedem ou eu peço q sejam estrelas do layout!
Em resumo... me faz bem demais td aquilo ehehhe
Sobre o post atual do seu blog, bem legal mesmo, não apenas a abertura para outro blogueiro mas pelo conteúdo tb!
Vou na linha do comentário da Dama hehehe puxa vida!!!
Um grande abraço e DEUS te proteja!!

Máah Castro disse...

Ah Bill, texto magnifico. Retrata muito bem os dias de hoje, onde pessoas corretas são tão raras que nem são compreendidas, nos acostumamos tanto com a roubalheira alheia que o que era errado tornou-se correto e por lá se estabeleceu!

Beeeeijo :D

Tata disse...

Oi,

Nossa....MARAVILHOSO SEU TEXTO!
BJINHOS

ℓiiα, ♥ disse...

Texto incrível, Bill!
Todos os aplausos do mundo para você! Um texto ao contrário que mostra como o mundo ESTÁ ao contrário.

beijos.

Sueli disse...

Texto futurista (a curto prazo) muito bem bolado. Ainda não chegamos a tanto, mas estamos caminhando muito depressa para isso, né não? ...rs. Abração, Bill!

Denise disse...

Interver,converter,conviver e ter q viver,vendo...

beijos
Denise

Barbara disse...

RECADO IMPORTANTE NO BLOG
POR FAVOR REPASSE

Kaká Bullon disse...

Valores invertidos. Mesmo tudo tão na cara como já está, sempre necessária uma crítica tão inteligente quanto essa para expor a intensidade do problema.

Muito bom!

Livre Pub disse...

É essa moral torta que temos hoje em dia. Não a problema em fazer o errado, afinal, é necessário ser esperto.

Natália disse...

A corda sempre arrebenta do lado mais fragil. beijos

Sarah disse...

Textoo muitoo booom mesmoo !
Bjooos !
:)

Tataahzinha disse...

Errado e certo, bom e mau.. caminham do mesmo lado!
:*

Sam disse...

Essa situação invertida ficou excelente. E, do jeito que as coisas andam, este texto se concretizará tão depressa...

beijos

Menina Nina disse...

achei até bem real em algumas situações!!!

dade amorim disse...

Uma caricatura perfeita de nossa sociedade. Adorei.

disse...

Daqui a um tempo vai ser assi mesmo se não cuidarmos mais do princípios e da ética que pasamos às crianças.

Bjo

Sara Oliveira disse...

Bill :D

Adorei o texto, um tanto quanto real em partes!

Bgs :*