lobo e lua

lobo e lua

28.6.09

Michael Jackson (1958/?)

Logo que soube da morte de Michael Jackson, me lembrei de um faxineiro que trabalhava na galeria onde eu tinha uma loja de discos.

Ele dizia ter 20 anos, mas parecia menos, pois era franzino, muito magro e baixinho. Assim que abri a loja, ele apareceu e perguntou se tinha lá algum disco de Michael Jackson. "Tem alguns", eu disse. "Qual você procura?"

"Na verdade, nenhum, pois tenho todos. Só quero saber, pois, na hora do almoço, posso vir aqui e ouvir um pouquinho?"

"Claro, pode vir", eu disse.

E ele sempre aparecia lá, escolhia uma faixa e começava a dançar, daquele jeito que seu ídolo tinha imortalizado. Sorria, dizia que era o máximo e depois voltava ao trabalho de limpar a galeria.

Durante quatro anos, ele cumpriu esse ritual de aparecer e pedir pra ouvir Michael Jackson. Depois, fechei a loja e nunca mais voltei lá. A notícia da morte de Jackson fez com que eu me lembrasse dele e de outras figuras que passavam por lá. Tinha um que andava com uma foto do Bono no bolso. Ele parava qualquer pessoa, na galeria ou dentro das lojas, tirava a foto do bolso e perguntava: "Não sou parecido com ele?" E, se a pessoa demonstrava alguma dúvida, ele ficava de perfil e perguntava novamente: "Assim, nessa posição, não parece?"

Também passavam por lá o Elvis jovem e o Elvis quarentão. Explico: um imitava o rei do rock nos anos 50, com topete, enquanto o outro era gordo e usava um cavanhaque enorme, além de tentar imitar o modo de andar de Elvis, tudo muito bem estudado.

Os clientes, em geral, eram fãs que imitavam seus ídolos. Um imitava John Lennon, outro o Jim Morrison, tinha também Jimi Hendrix, James Brown...

Um dia, percebi uma grande aglomeração no corredor e fui ver o que era. Tomei o maior susto, pois podia jurar que era o próprio Michael Jackson! O sujeito era alto, tinha uma daquelas roupas que Jackson vestia nos shows, parecendo um uniforme militar, um tom de pele muito parecido com o astro que deixava de ser negro, também usava maquiagem, inclusive nos olhos, o cabelo com uma ponta escorrendo pela testa, um chapéu... Impressionante a semelhança!

O faxineiro estava lá, no meio da multidão. Pequenino, com seu uniforme cinza, sorria e observava o sósia. Quando tudo acabou, ele entrou na minha loja e disse:

"É bom a gente ter um ídolo, né?"

Por isso, dei como incerta a morte de Michael Jackson no título deste post. Quem tem um ídolo, vivo ou morto, sabe do que falo. Aquele pobre faxineiro, que morava longe e levava horas de ônibus pra chegar na galeria e voltar pra casa, tinha em Michael Jackson um forte motivo pra viver e ser feliz. Hoje, ele deve estar triste, mas logo voltará a ouvir as músicas de seu ídolo e dançar como se estivesse em um palco.

Quando me lembrei dele, depois que soube da morte de Jackson, uma música invadiu meus pensamentos. Foi "Gente Humilde", de Garoto, Vinícius de Moraes e Chico Buarque de Hollanda.

"Tem certos dias
Em que eu penso em minha gente
E sinto assim
Todo o meu peito se apertar
Porque parece
Que acontece de repente
Feito um desejo de eu viver
Sem me notar
Igual a como
Quando eu passo no subúrbio
Eu muito bem
Vindo de trem de algum lugar
E aí me dá
Como uma inveja dessa gente
Que vai em frente
Sem nem ter com quem contar

São casas simples
Com cadeiras na calçada
E na fachada
Escrito em cima que é um lar
Pela varanda
Flores tristes e baldias
Como a alegria
Que não tem onde encostar
E aí me dá uma tristeza
No meu peito
Feito um despeito
De eu não ter como lutar
E eu que não creio
Peço a Deus por minha gente
É gente humilde
Que vontade de chorar"

60 comentários:

Robson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Robson disse...

Bill amei esse texto, perfeito! essa identificação com idolos artisticos em algum momento da vida, se torna fundamental pra se sobreviver a certas circunstâncias.
Grande abraço

Ava disse...

Bill, já vivárias homenagens ao MJ em vários blogs...

Mas meu amigo, aqui sim, vc retratou com emoção o que é um ídolo.

E a data de sua morte em aberto tem aldo de sublime, místico, sei lá o que...
Algo que mexeu comigo... Pela sensibilidade expressa ali...

Atravez de suas histórias, a essência de o que é ser um Ídolo!

E a música que escolheste, fecha com chave de ouro esse post maravilhoso...

Parabéns!



Beijos e carinhos!

Dama de Cinzas disse...

Lindo seu post, dos que tenho lido sobre o Michael é um dos melhores. Realmente ninguém pode tirar um idolo do seu fã, nem a morte!

Beijocas

Lis disse...

Bill,

Confesso que quando li o título fiquei apreensiva :=) A morte do Michael Jackson causou tanto burburinho quanto comoção, que ficou monótono a internet, as rádios, os telejornais.

Mas esse teu texto foi perfeito! A frase do faxineiro deu mesmo a deixa perfeita para a belíssima composição desses três mestres.

Belo texto, belo post!

Beijosss

Dora disse...

Pois é. Muito sensível esse post, Bill. Gostei demais. Uma maneira diferente de retratar tudo isso. Muito bonito. E de fato, a importância dos ídolos não se resume ao tempo de vida deles.
Um cheiro bem grande.

Sam disse...

Posts sobre o Michael estavam me irritando. Mas, esse é sensível de verdade. É um texto de fãs para fãs, e não de quem ouviu que MJ morreu e disse "puxa, isso dá um post!".

Se é um ídolo de verdade, ele nunca morre.

beijos!

αииє. - мѕ. Cuℓℓєи disse...

amei msm o seu blog !!
meu comp tá com prol e não toconseguindo te seguir, mais assim que arrumar te sigo !!

PS : passa lá no meu blog ;)

Bjim

Fernanda Magalhães disse...

De todos os textos sobre o Michael esse foi o unico q me tirou lagrimas, não pela morte do idolo, mas pelos orfãos deste idolo.


Perfeito texto!


Bjos querido!

A n i n h a a disse...

Um dos melhores textos. Acho que pode ser chamada de crônica.
Vejo essas pessoas que tem ídolos um pouco como sonhadoras, mas se isso lhes faz bem, não há mal nenhum nisso. (deu pra entender?)

beijão :*

Menina Nina disse...

todo mundo ja teve um ídolo... realmente dá pena dos fãs dele pq eram os fãs mais fiéis que já vi!

Nathália disse...

É exatamente assim.
Frases como "Elvis não morreu" fazem todo o sentido para quem é fã de verdade.

tereSafur disse...

lindo texto...
confesso que nunca fui lá muito fã, mas ele foi de fundamental importância para o cenário que temos hoje...

bjoks

JuJu disse...

Quanta sensibilidade, meu caro! Está na galeria dos melhores posts do Jornal da Lua!
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Afrodite disse...

Muito bom o seu texto... Michael Jackson representou um sonho pra muita gente. Os ídolos são assim, colocam-nos à frente dos nossos ideiais e fazem-nos acreditam que eles são possíveis de serem realizados.
Parabéns pela inspiração!

Beijos!

Luana H. disse...

Que texto maravilhoso!
Eu, por exemplo, não creio na morte do grande poetinha. Se disseram q ele morreu em 80 e eu nasci em 91, como posso saber se é verdade? Ele está vivo... tenho certeza! hehehe...

E é justamente essa gente humilde que imortaliza o astro. Ele é, eles confirmam.

Belo post, querido.

Grande beijo.

Cαгolinα disse...

morre o corpo, fica a memória, o nome, o mito.. que ótimo texto sobre o grande MJ, Bill.. até hj ainda nao caiu a ficha, sabe..

☆ Sandra C. disse...

adorei o post, Bill.
depois é assim... eu nem sei o que comentar, porque este homem foi, sem dúvida, uma inspiração para tudo o que aprecio hoje.
este homem foi polêmica.
este homem foi arte.
este homem foi sucesso.
este homem nunca foi decadência.
este homem não morreu.
porque arte, quando é de verdade, nunca morre.

os meus sentimentos e opiniões sobre MJ não mudaram porque ele morreu, como eu vejo pela mídia afora.

de repente, o 'pedófilo' (como julgaram-no) foi um homem bonzinho...

de repente, o 'garoto negro-branco', auto-racista, era apenas um doente mental complexado pelas exigências de perfeccionismo de um pai violento.

de repente, um rei decadente que sonhava sonhava ter príncipes como filhos, toca o coração de todo mundo, só porque morreu levando consigo sua última coreografia, sua última dança, sua arte.

as minhas opiniões não mudaram. e por isso evitei tocar no assunto no blog.

deixo isso para os jornais... hehe..

Pollyanna disse...

Fiquei aqui imaginando o cena se repetindo todo dia.. hahaha
muito bom!
Mas nem tenho nenhum idolo assim...

Pankunchi disse...

Como sempre, vou por partes!

Indubitavelmente, ter ídolo é muito bom , mas me sinto órfã de ídolos "sem ressalvas", entende? Ídolos que não precisem passar por escândalos nefastos para alimentarem sua doente e vazia cabecinha, ídolos - de preferência - não pedófilos impunes. Ídolos que não apenas façam belos gols mas que também cheguem cedo para treinar assim como o grupo todo. Enfim, ídolos com o mínimo de profissionalismo e não apenas brilhantismo.

Algo preocupante é um depoimento do tipo "eu nem sei o que comentar, porque este homem foi, sem dúvida, uma inspiração para tudo o que aprecio hoje".

Quem for vivo verá o mundo deixado por esse tipo de legado.

A música que fecha a postagem é uma obra de arte. Viva a arte brasileira que - ainda - não muda de nariz e de cor!

ℓiiα, ♥ disse...

Ah, Bill... que lindo. *-*
Michael foi um rei que marcou época, lançou moda e foi inspiração pra MUITA gente sorrir. E isso nunca vai morrer.
Eu que sou cheia de ídolos(pois é), bem sei como é ser feliz por músicas, entrevistas ou vozes. Fazer disso uma rotina e ser tão feliz que vale a pena viver por aqueles momentos. :D

Amei o post, de todos que eu li aqui, esse é meu favorito! Mesmo.

beijos.

Patrícia disse...

Bill, que texto lindo. E lindo porque o foco foram os que ficaram. E ele não fica?
Beijo!

Déia disse...

Muuuito bom seu texto.
Da uma tristeza mesmo, qdo nosso povo tão sofrido perde alguem que admiravam, se reconheciam...
Num país com poucas coisas boas... qdo uma, mesmo que de longe vai embora, da pena de quem ficou sem mais um ídolo para se espelhar! bj

Ágatha Alves disse...

muito bom o texto...
as vezes as coisas acontecem m nossa vida que nem reparamos
e ai de repente aparece a tona em nossa mente.
QUando MJ morreu me veio todos os momentos que eventualmente passaram em minha vida, as vezes que imitava ele na escola, que cantava as musicas errado,quando passava um clipe na tv meu pai me dava um gritão pra ir assistir, do dia que baixei milhares de musicas e n parava de ouvir, do post q fiz no ano passado sobre ele e vi que ele fez sim parte da minha vida n por momentos mais por tempooooos.
infelizmente perdemos um astro que como esse menino o fazia feliz e fazia feliz muitas outras pessoas....
beijos

Natalia Xavier disse...

Belissimo post. Acho que independente de gostar ou não do M. Jackson, a mensagem é unviersal pra todos. Eu tb tenho meu idolo, e acho que qdo ele morrer, de uma forma que não sei explicar como, ficarei meio perdida...

Bjos e td de bom!

Tatá disse...

Lindo.

Que ele vá em paz.

Cris Animal disse...

Bill, não tenho um ídolo, mas curti e muito Michael e vou continuar curtindo. Fui no show dele aqui no Brasil e sempre admirei o artista com sua originalidade. Acho que arte é isso: ORIGINASLIDADE e Michael ofereceu isso aos seus fãs ou não fãs o novo, a novidade, o que ninguém havia feito, haja visto que o cara mudou a história dos vídeos.
Eele era completo: dança, boa música, afinação, efeitos em palco, tecnologia e muita inivação.
Quanto ao homem...não me cabe julgar e ao que parece ele foi absolvido em todas as dez acusações...
Só tenho lembranças boas do artista que não vai, mas fica na obra.

beijaço

Lugirão disse...

Muito bom teu texto, uma abordagem bem diferente.

Parabéns por escrever algo diferente, e interessante.

Boa semana,

Ana Gotz disse...

Eu fiquei mto triste tbm com a morte de MJ... é estranho pensar q ele morreu...

:(

Rhaissa disse...

MJ é rei
eu gostava dele, aproposito OI
rs

hm vi seu comentario em algum blog que frequento e resolvi dar uma passada.

Realmente é bom ter um idolo, a minha no caso é uma escritora, rs mas assim como os fãs de MJ poderão ouvir as músicas sempre, eu poderei ler sempre certo?
rs

espero que sim.
De qualquer maneira, gostei do blog.
beijos :*

Boo disse...

Bom, eu curto rock, blues, nos susto até um mpb vanguardista e nunca parei pra ver-ouvir-dançar o pop do Michael mas teu post tem tanta verdade que não tive como não comentar.. mas no meu caso - no lugar de Michael - é Beatles, e pra mim é John Lennon no céu e Beatles na terra. que Michael descanse em paz. (:

Bárbara disse...

Chorei!
Ídolos são necessários. Famosos ou não. E com certeza são imortais.
Vim numa época em que grande parte dos meus ídolos já estavam mortos talvez antes de eu pensar em vir a terra. Talvez eu até estivesse em outra encarnação e eles estavam vivos.

E sobre a letra, prometo aumentar quando eu mudar o layout (em breve), afinal, é pela causa dos míopes, e eu também sou.

sobrefatalismos disse...

Jackson é, inevitavelmente, o substituto na frase: "Elvis nao morreu", esse vai marcar bastante.

Carolina disse...

Putz, sabe que a morte dele me veio tbém direto váriiias lembranças, muito boas...
bjos

Vivian Guilherme disse...

mto bom o texto mesmo! e isso é fato... idolos nunca morrem, quem nega que Elvis foi abduzido?!ehehe... vou acompanhar o blog! amei!

LP disse...

Muuuuito legal te ler Bill!
Demorei demais mas ainda deu tempo de ver o precioso post atual.
Me vi assistindo a sua narração como em um filme!! Parabéns pelo texto, pela partilha emocional e principalmente pela sensibilidade sincera e presente em cada letra!
E... lá se foi mais um gênio, ou pelo menos um cara q trabalhou, fez sucesso, encantou e arrancou aplausos, lágrimas, risos e sorrisos de tanta gente por tantos anos ao som de preciosidades!!
Fica a saudade né!
E vc fique com Deus, obrigado pelos comentários e pela presença!
Abraço!!!!

Silvio Koerich disse...

Ae parceiro muito legal o texto. História me deixou preso

Passa no meu blog e vê se curte

Tô te seguindo agora, podemos fazer tabelinhas de comentários e seguir

abraço!

Moon disse...

Por mais óbvio que seja, eu ainda não tinha pensado no Michael Jackson Ídolo. Tinha pensado nele como Ícone Pop. Rei do Pop. Próximo Elvis Que Não Morreu. E até Pedófilo, embora eu nem acredite nessa possibilidade.
Mas ele como ídolo de alguém, nessa noção tão básica e essencial e, quem sabe, intrínseca a alguém que seja um ícone... não tinha pensado. How silly of me.
Gostei (:

Tempestade disse...

Linda homenagem!
Em um texto que não é triste!
Beijos Tempestuosos!

Dayane disse...

Seus ultimos posts tem me encantado tanto,Bill!mas acho que esse foi o que mais gostei de todos!Lindo!Fiquei imagindano essas figuras que vc descreveu e senti uma ternura enorme por elas.Belo,belo,belo!

Simples Assim... disse...

O comentário mais interessante que ouvi sobre a morte de Michael Jackson foi de um jornalista que disse que uns eram fãs e vão sofrer pela morte, outros não eran e não vão sofrer, mas todos concordam que ele fará falta. Eu não era fã, na verdade, nem curtia muito as músicas dele. Mas acho sim que ele fará muita falta, não só pros que o idolatravam, mas pro "mundo da música" em geral. De qualquer forma o alento é exatamente o que vc descreveu no post: algumas pessoas simplesmente não morrem.

Bjs, Bill.

Tâmara disse...

Bill, que lindo vc la no INTIMIDADE. Fiquei toda euforica...hahahha...
Ah, eu num viajei naum! fiquei aqui mesmo!...

Ah Eu tenho tantos idolos que as vezes me confundo com eles..juro!


Ah...num some nao! ta!

Beijos

Monique Frebell disse...

Biill, fiquei mto chocada com a morte repentina do Michael tb.
Adoro a forma como vc posta, vc se importa, se entrega, se lança, isso é bom de ler.

Bjus, amigo!

=)

Barbara disse...

A alegria/inocência das pessoas simples são uma riqueza intransponível.
Estou compreendendo sua sensibilidade, sua sacação da coisa.
BOA GENTE, VOCÊ É!

Laís disse...

o ídolo morre mas a alegria,os ensinamentos e a vontade de tentar fazer algo como ele permanecem.
beeijo

Helô Müller disse...

Puxa Bill, que homenagem mais linda a sua !
Adorei a sua sensibilidade em focar nos zilhões de fãs - gente humilde como vc bem frisou - mas que conseguem ser mais felizes quando veneram seus ídolos !!
Parabéns querido !
Eu sou e sempre serei uma admiradora inconteste dele ...
Beijos !
Helô

junelise disse...

Pois é, Bill, nossos ídolos só morrem quando a gente morre.
Eu na adolescência fui fã por muito tempo de James Dean, amo Janis Joplin e também já dançei muito as canções do Michael.
Adorei o texto e essa figuras inesquecíveis que vc fala.
Um beiju, Ju

Anna disse...

ótimo post.
É mesmo impressionante como essa coisas de ídolos, ícones, etc, mexe com as pessoas. Não posso dar minha opinião, porque nunca fui fã a esse ponto, mas observando comportamentos assim como estes que você retratou, dá pra ter uma dimensão da coisa.
MJ nunca vai morrer, pomba, ele tá lá na ilha de Lost junto com o Elvis e o John Lennon!
beijos

Jaya disse...

Foi o melhor post que li sobre ele, Bill. E esse assunto já havia me desgastado pra caramba. Fiquei emocionada, pela primeira vez.

Beijo, daqui.

Sonia Schmorantz disse...

A letra desta música descreve tão bem nosso povo suburbano, que passa longe dos confortos desta vida, mas nem por isso é menos feliz, porque tem suas crenças, seus ídolos, e vive através deles, as coisas que queria ter feito...
um abraço

JuJu disse...

Meu caro, já que você é um excelente blogueiro capaz de fazer posts como esse, do MJ, resolvir dar-lhe um presentinho! Assim que vi este vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=8A95SLP_ISU) me lembrei daquela sua postagem do "car need boy" e achei que este vídeo seria de seu agrado. Aqui, o cara faz o processo inverso "traduzindo" uma música em inglês...hehe.
Apareça lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Boo disse...

Copa do Brasil fail. Odeio gostar de futebol nessas horas, não gosto de perder. 'Quem sabe ano que vem'...

tha disse...

texto lindo ! é muito bom ter um idolo , mais pra se admirar o trabalho que a pessoa faz , e não essa obseção que muitas vezes vemos , a que matou jonh lennon !
bjoos querida !

Juliana disse...

A Bill fiquei triste com a morte do Michael. Acho que ele não era feliz.
Saudades do seu blog, cada dia mais cotado!
Como estão vcs e seu cachorrinho???

Brúh disse...

Muito bem falado Bill.
Quando adimiramos alguém esse alguém sempre estará na nossa lembrança.

Beijos

Patricia disse...

eu li várias coisas sobre a morte do MJ, o seu texto foi um dos mais legais! quem já teve um ídolo sabe a dor que é... eu gostava do MJ, provavelmente vou ouvi-lo sempre e me entristecer um pouquinho quando lembrar como ele morreu :/

uma pena você não poder reencontrar o cara que ouvia as musicas e... uau vc teve uma loja de discos? uahuauha

beijo*

Sueli disse...

Para os fãs como eu, ele é imortal porque tudo continua a mesma coisa... Nunca o vi pessoalmente, mesmo. É só fazer de conta que ele está lá, escondido na sua Terra do Nunca... como sempre. Beijão!

maristela disse...

Pois este bill lírico é tão fantástico quanto o hilpario. não mais palavras, a migo

Mazane disse...

Teu texto me emocionou, acredito que o mais importante nos ídolos são a arte que eles deixam!!!!

BRUNA KAREN disse...

MICHAEL FOI UM IDOLO ALAIS
ELE E UM IDOLO
O REI DE UM TALENTO IMCOMPARAVEL
QUE TODOS ARTISTAS QUERIA TER
ELE TINHAS PROBLEMAS COMO TODO MUNDO E MUITAS POLEMICAS TAMBEM
MIS VERDADEIRAS OU NAO
EU ACREDITO QUE ELE SEJA INOCENTE DE TUDO.ELE ERA BOM HUMANO NAO GOSTAVA DE PRECONCETO QUERIA UM MUNDO MELHOR PRA TODO MUNDO.MAS NIGUEM ACREDITAVA NELE AGORA JA E TARDE ELE SE FOI SEM AS PESSOAS ACREDITAREM NELE ELE SOFRIA COM ISSO.A GENTE NAO SABE O QUE SE PASAVA NA CABECA DELE.PROBLEMAS COM DOENCAS ENFIN TUDO ISSO.ADEUS MACHAEL JACKSON O REI DO POP