lobo e lua

lobo e lua

13.6.09

Um dia bonito como outro qualquer

A mãe o ouviu falando alto, enquanto fazia a barba:

- Finalmente, as coisas estão melhorando pro meu lado. Tava na hora, né? Tanto tempo deixado de lado, ninguém se lembrava de mim, pensei que não fosse mais trabalhar. E, sem trabalhar, como é que eu ia fazer a Dorinha virar sua nora, hein, mãe?

Depois, foi pro quarto trocar de roupa:

- Tudo indica que esse pessoal vai me valorizar. Eu já tô cansado de trabalhar e ninguém reconhecer meu esforço. Mas eu estive com o chefe ontem e fui muito bem recebido. No fim do ano, ainda vão nos dar uns dias de folga, mãe. Podemos todos ir pra Copacabana, ver a queima de fogos e saudar o Ano Novo. Não vou me queixar deste ano. Vou até agradecer. E saber que o próximo será ainda melhor. Cansei de ser um pessimista.

Abriu a porta, viu o sol, o dia claro, respirou fundo e disse pra mãe:

- Minha saúde melhorou, Dorinha parou de encher o saco com aquele ciúme doentio dela. Fala pro pai que, se ele quiser, podemos tomar umas logo mais à noite, aqui por perto mesmo. Tenho muitos motivos pra comemorar, né?

Foi nesse momento que a bala perdida acertou seu coração.

53 comentários:

Luana H. disse...

Eu diria que só Nélson Rodrigues escreveria um destino desses...hehe

Beijão, querido. Bom fds.

LP disse...

Miséria pouca é bobagem ein Bill!

Mandou bem!!!! =) Abraços e obrigado pelo comentário!

Avassaladora disse...

Puxa, Bill...
Um texto excelente, mas de uma tristeza sem fim!

Nesse clima de dia dos namorados, e vc com tanta tragédia...rs

Mas que é a vida, senão uma louca tragédia...!

Adoro quando vc aparece...

És um amigo especial.... muito!


Beijos avassaladores!

Dama de Cinzas disse...

Na nossa vida tb é assim... rs


Beijocas

Thais Reis disse...

Incrível o texto.
Bem por isso que muitas pessoas tem medo quando estão muito felizes.
Medo de perder essa felicidade.

Adorei adorei mesmo o texto.

Bjos!sucesso

LiLi disse...

nossa que triste fim...
Mas foi bom enquanto durou né?
rsrs Beijos querido!

Srta Diazepan disse...

ui!

Fernanda Magalhães disse...

Lembranças boas que vão te seguir pela eternidade...Isso que faz a diferença.


Bjos querido!

disse...

Ameeei. Muito muito bom e bem escrito. É essa a felicidade de um homem otimista. :*

ℓiiα, ♥ disse...

Muuuito bem escrito e bem bolado. Mas bem triste também... Porque os bons morrem sempre?

beijos Bill.

Jaya disse...

Muda.

Afrodite disse...

Muito bom o seu texto... é bem real, infelizmente.

Beijos!

Ariana

Julyany ;) disse...

nossa, surpreendente, com um final apesar de triste, magnífico!

Claroo, sempre temos que, pelo menos tentar, a prender com os erros né! Enfim, postei a última parte agora e ai dá uma passadinha lá e me diz o que achou, se ficou bom e panz... shauhsuahsuahs

beeijos

Sonia Schmorantz disse...

Amigos são poemas…
Os verdadeiros amigos são a poesia da vida.
Eles enchem nossos dias de cores, rimas e risos,
nos seguram a mão quando caminhar parece difícil.
Mostram que mesmo em dias nublados o sol está no mesmo lugar,
e nos ensinam que a chuva pode ser uma canção de ninar
nas noites solitárias e vazias.

Um abraço em mais este final de semana, que tudo lhe
Seja bom...

Cadinho RoCo disse...

Assim não dá pra ser feliz.
Cadinho RoCo

Thaís A. disse...

CREEDO D: entrei em depressão agora, que horror. AUHESUEHSU, emfim. Vou te linkar, ok?
Beijão :*

Tatá disse...

:OOOOOOO~
Sem palavras.


Mas vc escreve bem :*

Natália disse...

Por isso temos que agradecer todo dia pelas coisas boas e ruins e aproveitar tudo ao máximo, pois nunca sabemos quando será a hora da partida!

obg. por comentar. beijos

Bárbara disse...

Por isso temos que agradecer todo dia pelas coisas boas e ruins e aproveitar tudo ao máximo, pois nunca sabemos quando será a hora da partida! [2]

A Vida é incrivelmente (às vezes felizmente, outras infelizmente) imprevisível. Mas só com essa "imprevisibilidade" que a gente consegue ter um pouquinho de emoções.

Nathália disse...

Por essa eu não esperava.
E nem ele, né?

Beijo!

Ps.: Adorei você ter me mandado os vídeos, Bill.

Paulo R. Diesel disse...

Não podemos criar expectativas que logo nos são tiradas.

Bela disse...

A vida e suas surpresas...
nem sempre agradáveis.
Abraços moço.

Patrícia disse...

Eu preciso parar de resmungar também. Só espero não ser vítima de uma fatalidade dessas!

Moon disse...

Essas fatalidades acontecem de verdade, e acho que essa é a pior parte da história. Quando a pessoa está pronta para viver, quando já perdeu tanto tempo sendo pessimista e perdendo oportunidades, pode ser tarde demais.
Só que é tão difícil, e eu diria até nauseante, ser todo otimista e serelepe... Eu própria não consigo.

Beijos!

Carolina disse...

Nossa, pesou, hein?
è por etas que eu digo: aproveita que a viagem pode ser curta!
bjos e saudades

Lis disse...

Coisa triste imaginar que na hora que se resolve ser otimista...

Melhor viver o hoje, pos se depender do acaso...

Beijosss

Helô Müller disse...

Nossa, tiro certeiro na alma ... chega a doer, ao pensarmos que poderia ser verdade !! Morreu feliz, talvez melhor do que se fosse infeliz ! Sei lá ... mas gostei do texto intenso !!
Besos
Helô

Monique Frebell disse...

Aaaaiiii, eu esperava um final feliz!

Que triste, Bill!

=(

Thaís A. disse...

UAHESUHEUHEU, eu juro que sim! Adoro salada, tá? :B

N disse...

A vida incompleta, se expressa eh um segundo?
O ultimo, eu diria...


Bjos!

Nina Vieira disse...

A vida incompleta, se expressa eh um segundo?
O ultimo, eu diria...

Anna disse...

Ai...
Como assim...
Sério, sabe quando você sabe que o texto tá feliz demais pra acabar tudo bem, mas ainda se choca quando acaba tudo mal?
Que raiva, eu tava feliz pelo destino feliz do moço. Pobre Dorinha.
beijos

Dayane disse...

Ai Bill,muito triste...

betty disse...

Bill,

Enquanto lia o seu conto me lembrava de 'Contrução', do Chico Buarque.
Naquele dia ele fez tudo com uma alegria simples, ingênua, pura... pequenos gestos, pequenas coisas... para, então, chegar ao final verdadeiramente impactante...

Perfeito! Amei!

beijinho

Glutone Insanu disse...

Enquanto apenas o BOPE subir o morro, ele virá até nós.

Este final lembrou-me um outro final: o do filme Casa de Areia e Névoa. Já assistiu, Bill? Creio que você deva gostar!

Billzis, sua presença e comentários em meu blog é um verdadeiro "termômetro"! Fiquei contente por você ter, finalmente, lido um post decente e não mais uma declaração de amor, rs! Já estava ficando envergonhada!

OBS.: Sua "Playlist" ali ao lado é MUITO supimpa! Adoro o estilo!

Fique bem!

Lugirão disse...

Bill, que final triste, ainda bem que ele morreu feliz, se é que isso serve de consolo.

Yvonne disse...

Bill, passei para matar as saudades. Adorei esse post, pena que o final tenha sido triste.
Beijoquitas

Natalia Xavier disse...

O loko... Trágico e rápido.

Essas perdas de repente faz tudo que tinha sentido, perder da forma mais rapida possivel.

E todos os planos acabaram...

Dá pra fazermos uma analise, de como tudo isso pode acabar em um segundo.

Saudades daqui. Desculpa a ausencia. Culpa da faculdade!

Bjos e td de bom!

Vc quase naum posta no twitter =/

Cris Animal disse...

Oi Bill!
Voltando ao meu blog, mas anates só lendo meus amigos.Matando saudades!

Que texto!
Antes poderíamos dizer: que ficção. Hoje, já não sabemos mais se é realidade ou ficção pq infelizmente a tragédia virou vizinha de vida.

Bill, beijo grande

Flavio Pinheiro disse...

Magnífico texto!
Este Jornal da Lua é sempre surpreendente.
Parabéns e um abraço.
Flavio Pinheiro

Anônimo disse...

nossa...
é tão forte que chega a ser poético, apesar do fim trágico.

gostei daqui!
=)

Lu disse...

nossa...
é tão forte que chega a ser poético, apesar do fim trágico.

gostei daqui!
=)

Fernanda Magalhães disse...

Que horror!

Mas é pura realidade.


Bjos querido!

junelise disse...

é, triste sim e muito real. Mas, prefiro pensar que ele morreu feliz, acreditando num dia melhor, em oportunidades, em felicidade, em amor, em família... ´
a vida é estúpida muitas vezes e inúmeras vezes maravilhosa!
Bjus, Junelise

Simples Assim... disse...

Depois de um tempo fora, volto aqui justamente nesse post. Deve ser só pra me lembrar o que me fez voltar tantas vezes. Sabe de uma coisa? Acabei de ler o texto e pensei. Voltou à situação inicial. Morte... vida... morte. Talvez se ele não tivesse se sentindo tão vivo, tão esperançoso, ele não mudaria de estado. Então não creio que tenha sido um azar o dele de morrer, mas sorte dele de ter vivido antes de morrer. Um pouco antes de morrer.

P.S.: Tenho novidades. Foi marcado o transplante. Dia 7.

Bjs

Helô Müller disse...

Dorei a visitinha aos meus aposentos! rs
Besos
Helô

Mandy disse...

Tenho q concordar q é um texto maravilhoso!

Porém muito triste...

bjoooo

Afiando o Salto Alto disse...

Então, quando o cara decide olhar a vida com paixão, entra em cena a fatalidade!
Moral da história: Viva o niilismo! kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Sentimos sua falta!

Uma do Trio de três
(Bristow)

Allyne Alves disse...

Acontece...nem sei o que comentar!

Beijo querido

JuJu disse...

Que fatalidade...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Ana disse...

A arte imita a vida é?

Bem assim.

Luiz disse...

Belo conto, da sua melhor lavra. O cenário é bem verdadeiro nessa minha cidade querida. Grande abraço

Laís disse...

ãin que triste,o mundo hoje em dia tá assim,a felicidade não pode estar muito grande senão a gente estranha,isso ai só resume o que deve acontecer todos os dias neste país.