lobo e lua

lobo e lua

10.5.09

Diante da Lei

Franz Kafka

Diante da Lei está um guarda.
Vem um homem do campo e pede para entrar na Lei.
Mas o guarda diz-lhe que, por enquanto, não pode autorizar-lhe a entrada. O homem considera e pergunta depois se poderá entrar mais tarde.

- "É possível", diz o guarda. "Mas não agora!"

O guarda afasta-se então da porta da Lei, aberta como sempre, e o homem curva-se para olhar lá dentro. O guarda ri-se e diz: - "Se tanto te atrai, experimenta entrar, apesar da minha proibição. Contudo, repara: sou forte. E ainda assim sou o último dos guardas. De sala para sala estão guardas cada vez mais fortes, de tal modo que não posso sequer suportar o olhar do terceiro depois de mim."

O homem do campo não esperava tantas dificuldades. A Lei havia de ser acessível a toda a gente e sempre, pensa ele. Mas, ao olhar o guarda envolvido no seu casaco forrado de peles, o nariz agudo, a barba à tártaro, longa, delgada e negra, prefere esperar até que lhe seja concedida licença para entrar. O guarda dá-lhe uma banqueta e manda-o sentar ao pé da porta, um pouco desviado.

Ali fica, dias e anos. Faz diversas diligências para entrar e com as suas súplicas acaba por cansar o guarda. Este faz-lhe, de vez em quando, pequenos interrogatórios, perguntando-lhe pela pátria e por muitas outras coisas, mas são perguntas lançadas com indiferença, à semelhança dos grandes senhores. No fim, acaba sempre por dizer que não pode ainda deixá-lo entrar.

O homem, que se provera bem para a viagem, emprega todos os meios custosos para subornar o guarda. Esse aceita tudo, mas diz sempre: - "Aceito apenas para que te convenças que nada omitiste."

Durante anos seguidos, quase ininterruptamente, o homem observa o guarda. Esquece os outros e aquele afigura-se-lhe o único obstáculo à entrada na Lei. Nos primeiros anos, diz mal da sua sorte, em alto e bom som, e depois, ao envelhecer, limita-se a resmungar entre dentes. Torna-se infantil, e como ao fim de tanto examinar o guarda durante anos lhe conhece até as pulgas das peles que ele veste, pede também às pulgas que o ajudem a demover o guarda.

Por fim, enfraquece-lhe a vista e acaba por não saber se está escuro em seu redor ou se os olhos o enganam. Mas ainda apercebe, no meio da escuridão, um clarão que eternamente cintila por sobre a porta da Lei. Agora a morte está próxima.

Antes de morrer, acumulam-se na sua cabeça as experiências de tantos anos, que vão todas culminar numa pergunta que ainda não fez ao guarda. Faz-lhe um pequeno sinal, pois não pode mover o seu corpo já arrefecido. O guarda da porta tem de se inclinar até muito baixo, porque a diferença de alturas acentuou-se ainda mais em detrimento do homem do campo. - "Que queres tu saber ainda?", pergunta o guarda. "És insaciável."

- "Se todos aspiram a Lei", disse o homem, "como é que, durante todos esses anos, ninguém mais, senão eu, pediu para entrar?"

O guarda da porta, apercebendo-se de que o homem estava no fim, grita-lhe ao ouvido quase inerte:

- "Aqui ninguém mais, senão tu, podia entrar, porque só para ti era feita esta porta. Agora vou-me embora e fecho-a."

Franz Kafka (Praga, 3 de julho de 1883 - Klosterneuburg, 3 de junho de 1924) foi um dos maiores escritores do século XX. Suas obras, como A Metamorfose, Colônia Penal, O Processo e O Castelo, retratam indivíduos presos em situações absurdas num mundo impessoal e burocrático.

47 comentários:

Lu Dantas disse...

Ótimo texto de Kafka. Traz uma espiritualidade libertária e mostra até uma certa incoerência dos atos arbitrários..da lei, neste caso. Muito bom! Bjs

Sam disse...

Adoro Kafka. Ele consegue explorar o ser humano de forma única. Ótima escolha de texto!

beijoos

Francisco disse...

Além do texto ser fantástico, está mais atual do que nunca.
Engraçado, nesta semana pensei muito em Kafka, devido a uma situação "kafkiana" que me aconteceu. Depois te conto!
Um abração!

Cöllyßry disse...

Bem actual,gostei de ler...Lindo espaço...


|)’’()
| Ö,)
|),”
|Terno beijo

disse...

Fantástico, adorei! :*

Lis disse...

Kafka é fantástico, mesmo.
Metamorfose é incrível.
Boa semana,
Beijos

Patricia disse...

metamorfose ou o livro da barata, que sufocante que foi de ler.
eu acho que teria ter tentado entrar, ficar anos só olhando é tanto desperdício.

beijo*

Paulo R. Diesel disse...

Kafka sempre atual.
Aprendemos muito com ele.

Abraço

JuJu disse...

Fiquei com pena do homem do campo. É que, no fundo, é tudo verdade e acontece sempre.
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Nadezhda disse...

Posso ter lido 300 vezes, mas nuncame canso.

;)

Cadinho RoCo disse...

A frieza com que Kafka trata seus temas tem enorme de poder de nos atrair para leitura dos seus textos, sempre marcantes.
Cadinho RoCo

Natalia Xavier disse...

Bom esse autor! Li a metamorfose, achei impressionante a metáfora colocada.

E Bill, eu quero um gato preto igual o seu aí! hehehehe

Bjos!

Patrícia disse...

Concordo que o autor seja frio, mas atraente. Não só prendeu o homem à lei, mas nos prende aos seus textos.

alex e! disse...

...o medo humano diante de mecanismos criados pelas mesmas mãos humanas é o que talvez faça esse mundo ser tão absurdo, além de alimentar esse culto cego à burocracia, ao qual parecemos aprender a nos curvar. As portas estão sempre abertas pra quem quer ver...

abraço do alex.....

† Samurai † disse...

Nos perdoar e perdoar aos nossos semelhantes tbm... a gnt só se perdoa, qndo perdoamos o próximo, serve como projeção!

adorei o texto
bela escolha!!

And her we go again!!
bjus da Samurai

Julyany ;) disse...

shuahsuahsa
espirituoso e atual né!
;) adooorei!

p.s.: obrigada pelo comentário e
pelos elogios, obrigada de verdade!
lol
e eu vou traduzir meu texto pra ti e já posto aqui nos comentários!
beeijos

Julyany ;) disse...

Eu te amei, mas... (tradução)

Tudo é difícil,
Todo mundo tem dias ruins,
Mas isso Não é uma desculpa
Para jogar o meu amor fora!

Eu não sei,
Porque te amei tanto...
Mas eu te dei meu coração
E você nunca ligou!

Mas os dias vão passar
E você verá
Que para mim
Você significou tudo!

Mas nesse dia
EU não lembrarei
Quem VOCÊ foi
E EU vou jogar o SEU amor fora!

Anna disse...

Nossa, muito legal. Não conhecia esse texto do Kafka, acho ele muito legal, apesar de conhecer pouco da obra. ó vida, tanta coisa que eu ainda tenho que ler antes de morrer!
beijos

Nathália disse...

Mais atual impossível.
Adorei o texto, Bill!

Beijo!

lpzinho disse...

Como já foi dito acima, o texto além de fabuloso é bem atual.
=) Boa postagem, boas reflexões!!!

Thaís A. disse...

Nossa, que texto lindo :O Não conhecia esse escritor :x

Adorei aqui, beijão :*

Brúh disse...

Nossa, um dos textos mais inteligentes que já li..
adorei bill, sempre surpreendendo.
Beiijos

Obrigada pelos parabéns

Cadinho RoCo disse...

Sempre que posso retorno.
Cadinho RoCo

Bela disse...

Obrigada pela visita, volto com mais tempo para ler os textos.
Abraços.

Mary West disse...

Nunca li. Sou uma retardada mesmo. Mas um dia eu tiro ele da prateleira.

Ana Gotz disse...

Kafka é bom demais!
Arrepia!

A n i n h a a disse...

pois eu sempre digo que o ser humano tem o incrível dom de sentar no banquinho sem nem mesmo tentar dar um chute na canela do guarda.
Nem que seja pra passar pelo primeiro, pra dizer que fez algo!

Adorei o texto, me fez pensar *_*
beiijos!

Allyne Alves disse...

Uau! Vou pesquisar mais...ja tinha ouvido falar sobre "A metamorfose" e "O castelo" mas nunca me interessei em pesquisar...

otima dica, muito obrigada querido!

Beijao

Monique Frebell disse...

Bill, obrigada pelo carinho e pela visita constante! Sinta-se à vontade a voltar mais vezes no meu mundo (que também é o da Lua), onde tiro e ponho máscaras sem medo!

Bjão grande pra Vc!

Sheherazade disse...

TAQUEPARIU!
Esse texto de Kafka retrata bem o que a inércia e o conformismo pode fazer com os que capitulam a cada obstáculo que se lhes interpõem, Bill. E olha que ele nem era brasileiro, povo que tem por índole a acomodação e a contemplação diante de toda sorte de abusos, inclusive o de poder.
Muito, muito, muito bom e atualíssimo!

Beijão, querido

Sheherazade disse...

Voltei só pra dizer que amei o gatinho de olhinhos verdes e brilhantes ...Hehehehehehe!!!
Bj de novo

Patrícia disse...

Meu template está sendo bastante elogiado, o único problema é que eu cando fácil dos meus templates, hehe

E vou confessar: Às vezes eu venho até aqui só pra brincar com o gato preto, hehehe

Fragmentos Intemporais disse...

Palavras que me fazem reflectir!

Gosto de o ler, muito!

Beijo intemporal...

Simples Assim... disse...

Kafka? Vc é mesmo surpreendente, Bill.

Eu poderia escrever páginas sobre o assunto. Mas porque vc é um cara legal vou te poupar dessa, ok? Então vou resumir numa única questão.

Depois de quase 10 anos trabalhando na área jurídica, a gente começa a distinguir o que é realmente absurdo do que é apenas uma tentativa de não olharmos o próprio "rabo".

O Direito foi criado para garantir a vida em sociedade. Ele foi criado por homens para homens. Portanto, a cada vez que eu ouço alguém questionando o quão idiota e burocrático é nosso sistema jurídico, fico pensando que talvez fosse mais útil fazer questionamentos mais... digamos... pessoais.

P.S.: Tô no Rio.

Tataahzinha disse...

Texto maravilhoso!
FATO!

Lata Mágica Recife disse...

Muito bom o texto.

Um tempinho nas oficinas, com o foco no nosso trabalho autoral. Estamos fotografando os interiores do Estado de Pernambuco com a lata e câmeras convencionais. Um pouco do trabalho de laboratório lá no nosso blog, esperamos vocês em nosso casa virtual.
Abraços dos amigos da lata:
Odilene Andrade & Willam Duarte

Dona Maria disse...

Nunca tinha lido um texto dele, e me encantei! Uma primeira vez e tanto, não? Obrigada pela oportunidade.

junelise disse...

Ei Bill!

Pois é, vou lá pra Congonhas neste finde. Conhecer mais pessoas em torno da culinária. Haverá um lançamento de livro também no sábado a noite. Literatura e culinária, meu lugar!
Um beiju grande, Ju
Ah, infelizmente, nada havia lido de Kafka até hoje, depois de le-lo aqui. As vezes ficamos plantados num mesmo lugar, batendo na mesma tecla sem perceber o mundo de oportunidades e maravilhas a nossa volta, né não?
Té breve...

Dora disse...

Algumas coisas não mudam nunca. É o que parece. É tudo tão atual, Bill...
Adorei o texto...

"A Lei havia de ser acessível a toda a gente e sempre, pensa ele. Mas, ao olhar o guarda envolvido no seu casaco forrado de peles, o nariz agudo, a barba à tártaro, longa, delgada e negra, prefere esperar até que lhe seja concedida licença para entrar."

Coisas da vida...
Um cheiro bem grande, Bill!
Bom fim-de-semana.

Patrícia Andréa disse...

O únivo livro q li do Kafka foi O PROCESSO, e, sinceramente, é mto cansativo, mas mto interessante!

Passa lá no meu blog q tem post novo!
Bjus e bom fds!

Arianne disse...

Ei Bill, quanto tempo! :D
Muito bom o texto...
Beeijos

Gabi disse...

Kafka is the man hahaha!
Beijos

Gabi disse...

Kafka is the man hahaha!
Beijos

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Excelente esse texto de Kafka, já havia lido há um bom tempo, mas relê-lo me fez muito bem.
Obrigada pela sua visita.
Bjobjo ;)

Helô Müller disse...

Retribuindo a gentil visita e adorei ser pega de surpresa com este maravilhoso texto de Kafka !! Precioso por demais ...
Já tou na tua cola !!
beijos !!!
Helô Muller

Denise disse...

Gostoso esse lugar

Vou a principio comentar da minha vinda ,outra hora comento as postagens.
Vim não sei bem como,o que sei é q adorei a musica Moreira da Silva e Chico são impagáveis.
Depois fui percebendo um humor acido e muito inteligente (dizem que só gente inteligente é bem humorada),fui ficando, ficando e quase que esqueci que tinha reunião Rs.

Volto juro que volto
Me feiz seguidora assim fica mais facil

beijos

De

Anônimo disse...

http://jaumgodoy.zip.net/Aprecie com moderação,Falcão.