lobo e lua

lobo e lua

29.9.07

Presidente defende álcool na ONU

GUDESTEU HOSTALÁCIO
ENVIADO ESPECIAL

O presidente Luiz Polvo da Silva voltou à tribuna da ONU na manhã deste domingo, tentando curar a ressaca da cerimônia da noite passada, quando resolveu experimentar vários tipos de bebidas estrangeiras, e provar que nenhuma delas é superior à tradicional caipirinha brasileira.

- A gente não devemos nos iludir - afirmou o presidente - sobre o que vai substituir o petróleo nos nossos carros no futuro próximo que se avizinha. Já foi provado e disprovado qui (hic!) o álcool da cana brasileira é o melhor álcool para todos os momentos, todos os carros, todos os trens e (hic!) todas as festas do mundo! Por falar em festa, todo mundo aqui já tá convidado pra baita festa que nóis vâmu fazê lá no Rio de Janeiro em (hic!) 2012. Todo mundo vai ver qui a cana de nosso país é a maior cana que tem. Não falo nem (hic!) no tal do açúcar que tamém tiram da cana, pois açúcar é coisa de criança e faz mal pros dentes, como (hic!) ocêis todos aqui sabem. Falo mesmo é do álcool, qui é o que nos interessa aqui, não é mesmo?

Acompanhado pela ministra Magda Suplício e pelo ministro da Fome e Desenvolvimento Social, Paliativus Onanias, o presidente pediu um copo de água gelada:
- Magda, venha dizer umas palavras aqui, enquanto eu tomo água!

A ministra chegou perto do microfone, tirou um espelhinho da bolsa Armani, colocou um brilho nos lábios, olhou pro microfone e disse:
- Aiiiiiiiiiii, de onde veio esse microfone? Quero um pra mim! É tão assim...másculo, vocês não acham? Bem, éééééééééééééééééé...olha, se eu fosse vocês, não pensava duas vezes: o presidente tá certo, gente! Caipirinha boa é a nossa! É só colocar 51, gelo e limão! Tem gente que gosta de açúcar no meio, mas eu não! Aí, você bebe, relaxa e goza, não é, presidente Polvo?

O presidente voltou à tribuna: - Agradeço às palavras sempre muito inteligentes e oportunas de nossa ministra. O que ela diz é verdade: se vocês misturá a 51 com gelo e limão, num pricisa de açúcar ninhum! Tem gente qui gosta, mas eu e a Magda dispensamu!

O representante da Alemanha, Helmutt Hans Fritz Salsichon, pediu um aparte: - I o que o senhôra pensa do cerveja? O senhôra acha que o cerveja também pode ser uma boa combustível no futura?

- Sem dúvida nenhuma. Sou um grande apreciador, mas creio que a cerveja, assim como o chope, ainda dependem de muitos anos de istudo e pesquisa pra gente pudê dizê: pronto, tá aprovado pra ser biocombustível. Sugiro, no entanto, que o sinhô e seus amigo da Alemanha continue fazendo teste com a cerveja, pra ver se os carros aguenta tomá mais chope do que nós tomamo na festa de onti, tá certo? Agora, vô chamá meu amigo Onanias, pra falar procês cumo é qui se usa um imposto, que era pra remédio e hospital, virá bolsa-esmola, quer dizer, bolsa-família. O nome é esse mesmo, Onanias?

- É esse mesmo, senhor presidente. Meus amigos, minhas amigas: olha, não tem segredo. Vocês falam que um imposto, que devia ser único, como a CPMF, por exemplo, vai resolver os problemas de saúde do país, entenderam? Depois, vocês aplicam a grana em outra coisa, pra poder agradar ainda mais ao povo e ninguém vai se lembrar de saúde, é fácil! No ano passado, dos 7 bilhões que arrecadamos com a CPMF, 6 bilhões foram usados pro bolsa-família. O povo, que morria de fome, pode morrer de outra coisa até, mas, de vez em quando, vai comer uma carne de charque, ou uma mandioquinha, um feijãozinho, não é verdade?

O presidente Polvo da Silva agradeceu a intervenção do ministro Paliativus Onanias, do Ministério da Fome e do Desenvolvimento Social, e prosseguiu:
- Bom, minha gente, vamu dexá de cunversa fiada e vamu logo ao qui interessa pra nóis: de noite, tão todo mundo convidado pra tomá uma lá na nossa embaixada, certo? A parti de 6 hora, ocêis podi chegá qui nóis já vamu tá lá, tomanu umas i outras. Vô mandá reservá cadeiras especiais pru pessual da Alemanha, Iscócia, Chile, Purtugal e França!

O representante dos Estados Unidos perguntou porque os países citados teriam tratamento diferente. Antes de se retirar da tribuna, o presidente Polvo respondeu:
- E onde é que fáiz u milhó uísque, a milhó cerveja, o milhó vinho? Mais, pensando bem, ocê tamém pode ir, qui eu ti arrumo uma cadeira legal. Só num isquece de levá pelo menu umas trêis garrafa de Jack Dâniel, tá certo?

11 comentários:

JuJu disse...

Eita, Bill... Esses biocombustíveis sempre dão o que falar.
Mas, peraí! O que é que esses dois ministros estavam fazendo lá? O presidente não tinha ido sozinho?
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário (Postei de novo)!!!

carla granja disse...

olá meu amigo! obrigado por gostares do k escrevo é sempre bom saber:) assim quando editar o meu livro e cd e o colocar há venda na net eu quero ver kem o compra!:) eheheh.. pois esses ministros já tou a ver k são iguais no mundo inteiro:) bjo
e volta sempre k eugosto de te ver no meu blog :)
carla granja

mãe global disse...

Bill,
Sobre o seu comentário sobre resiliência, existem alguns estudos sobre as vítimas do holocausto. Os estudos descobriram algumas características que ajudam as pessoas a passar por crises e momentos difícieis da vida, como: procurar apoio de amigos, ter boa auto-estima, acreditar no sentido da vida, etc. Aqueles que conseguem a partir do sofrimento tirar algum aprendizado para a vida, tornando-se pessoas melhores, são chamadas as pessoas resilientes. O bom é que podemos tentar desenvolver alguns aspectos em nós para nos fortalecermos diante das dificuldades! Obrigada pelos seus comentários, Bill querido!
Beijos,
Rosana

mãe global disse...

Bill, adorei! Só você mesmo...Nosso presidente combina com biocombustível, bioálcool, biopinga, biomé, né? Associação perfeita!!!
Beijos e boa semana!
Rosana

Alê Barros disse...

Bill querido,

Mil perdoões pelas faltas de visitas e tbém pela ausência do teu blog lá na minha lista...mas homi, tem tanto blog que preciso colocar lá...rs
Juro que arrumo...rs
Beijos e boa semana.

maristela disse...

depois sobra pros pobres dos jornalistas, né, bill? bj

Sheherazade disse...

Ah, Bill! Fala sério! Criticar o nosso presidente por gostar de uma cachacinha é uma tremenda falta de brasilidade. Afinal, quem de nós não "apriceia" uma "branquinha", vez em quando? Tá certo que "aviceia", mas aí já é coisa pra psicopatologia, que não é a nossa área... Hehehehehe!!!
Querido, obrigada pela sua solidariedade ao caso Ana Virgínia, mas convém não publicar nada na imprensa, por enquanto, pois a própria família dela não está empenhada nisso (sabe Deus por quê)... Mistéééééééério!!!

Beijos mil, Bill (pra rimar).

carla granja disse...

OLÁ AMIGO BILL! PASSEI PARA VER AS NOVIDADES E VI O VIDEO K TÁ EM CIMA:) HJE NAO TENHO POEMA PICANTE,MAS ESPERO TUA VISITA COMO SEMPRE FAZES E ME DEIXA TAO FELIZ:)
BJO
CARLA GRANJA

Sueli disse...

Ai, Bill ... hahahahaha! Issu aqui tá cada dia mior. Sensacional! Beijo!

Patty disse...

Bill,
Vc é demais!!!!
Essa cara do "homi" tá hilária.

Beijos meu querido e bom final de semana.

ps:a sugestão da republicação já está publicada.

Vieira Calado disse...

Eu também defendo "a caipirinha"
e outras delícias, mesmo que tenham álcool!
Ainda ontem, bebia eu uma cervejola, a minha cunhada pediu uma caipirinha e eu fiquei cheio de inveja.
Um abraço.