lobo e lua

lobo e lua

13.6.11

Poema em Linha Reta

FERNANDO PESSOA (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935)

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar
banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo
ainda;
e tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes
- na vida...

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e errôneo nesta
terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

14 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Já conhecia esse poema de Pessoa, leio muita coisa dele. Me traduz...

Esse é perfeito para as redes sociais, do tipo Facebooks da vida, lá a vida de todos é bela, cheia de festas, de brindes, ninguém se decepciona, nem acorda de mal humor, é uma maravilha... rs

Beijocas

sobrefatalismos disse...

Adoro literatura portuguesa. O Pessoa é um de meus poetas prediletos. Vi o destaque dele no Google hoje.
Beijão!

Tay disse...

Fernando Pessoa é muito mara, esse poema é perfeito *-*

bjus =*

Luma Rosa disse...

Boa escolha para prestar homenagem a este grande poeta português! Admirável!! Beijus,

Carolina Hermanas disse...

Bom poooooooema \o/
Fernando Pessoas é um dos meus prediletos *_*

-
Saudades de adquirir cultura aqui.HAHAHAH :P

beeijo *_*

Roderick Verden disse...

Não conhecia esse poema do FP. Gostei mesmo! Concordo com a Dama de Cinzas.

Abraços, Bill!

Laís disse...

Não sei muito sobre Fernando Pessoa,mas gostei muito desse poema.Também estou farta de semideuses e desses que se esforçam em esconder a própria natureza - humana,errante,"sentinte e pensante"


beeijo

Anônimo disse...

Muito bom!!!!!!!!

Vanuza Pantaleão disse...

Mais que um poema, uma lição de vida.
Adorei, amigo!Bjssss

Anônimo disse...

Beleza, Bill!
Ganhei de uma amiga as obras completas do Fernando Pessoa, da Editora Nova Aguilar - 1986.
São dois volumes de capa dura com o desenho do poeta feito por Almada Negreiros:
Fernando Pessoa Obras em Prosa e
Fernando Pessoa Obra Poética.
Puro deleite.... e está às suas ordens! Beijão
Lúcia Calmon

Luana H. disse...

Bill, meu querido!
Estou de volta.
E que delícia voltar e encontrar esse texto do Pessoa. É um dos meus preferidos.

Espero você lá no meu blog novo.


Um beeeeijo.

betty disse...

A música e a poesia são duas constantes em mim; pessoa ao mesmo tempo romântica e questionadora.
Entre todos os poetas, aquele com quem mais me identifico é Fernando Pessoa, múltiplo em formas, único em essência. Sua genialidade era tanta que não cabia num só.

Esse poema é intemporal, poderia ter sido escrito hoje, nesses dias em que as pessoas se fingem perfeitas, realizadas, saudáveis e plenamente felizes... hehehe

Grande Fernando!

Um beijinho.

Sônia Silvino disse...

Oi, Bill querido!
Saudades!!!
Eu não conhecia este poema do Pessoa.
Profundo!!!!!!!Cheio de sentimentos.
Beijoooos!

Lívia Inácio disse...

adoro esse poema!

tem uma versão superlegal no youtube... vou procurar e depois te mando.

beijos